sexta-feira, 14 de julho de 2006

Cleuza Ferreira & Casa Magrella: Luxo em Brasília - Por Jamill Barbosa Ferreira



Em 1970, Cleuza Ferreira, apaixonada por moda, abriu sua loja 'Milonga'. Surge entre a empresária e a moda um entendimento intenso que resultou e permanece num projeto ainda mais sofisticado, a apoteótica e respeitada Casa Magrella – referência do chique em Brasília. Das lojas mais sofisticadas do Brasil, com estrutura internacional, a Casa Magrella é sempre citada nas importantes publicações especializadas – a mulher mais elegante do Brasil e das dez mais elegantes do planeta, Carmen Mayrink Veiga, também publicou elogios sobre a Casa Magrella. Não há como resistir ao bom gosto. Antes de ser o luxo aparente aos clientes, a Casa Magrella tem muito da refinadíssima humanidade de Cleuza e ali ela descobre e redescobre a moda à sua maneira. Para a Cleuza Ferreira mulher, com seu espírito abarrotado de bom gosto, a Casa Magrella com toda sua lista de grifes nacionais e internacionais, é a hospedagem mais gratificante para a moda na Capital Federal. Na impressionante loja tudo é cuidadosamente organizado. Alguns toques de prata, cristais, brilhos. Espelhos. Sobrenomes fortes, políticos e empresários circulam nos salões da Casa Magrella e compõem a lista de clientes. Para Cleuza e suas clientes, a multimarcas representa, na moda brasileira, a possibilidade de expressar suas emoções mais íntimas, sem qualquer intenção exterior – assim mesmo, o impacto visual é deslumbrante. Essa interpretação muito pessoal do luxo e da moda na estrutura da loja, é extremamente reveladora da empresária, sempre preocupada com as bases de composição de sua própria imagem, regulando os elementos formadores de sua simbologia. Como seu estilo que traz sempre sua marca registrada, também a Casa Magrella apresenta na composição geral, a atmosfera inconfundível da presença de Cleuza Ferreira. Sua maior lição é que a percepção do bem vestir, da moda, não é atingida através de repreensões exclamativas, mas sim, em ofício do conhecimento reflexivo – do autoconhecimento.

Um comentário:

Anônimo disse...

Trabalhei no grupo Magrella durante alguns anos, conheço e admiro Cleuza Ferreira,como empresaria é nota mil, como gente é nota máxima, nem ela sabe da admiração que tenho por ela, é mestra em tudo que faz.Parabéns pela matéria