sábado, 6 de janeiro de 2007

'Memória' - poema predileto

MEMÓRIA
Carlos Drummond de Andrade

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão

Um comentário:

Rosangela disse...

...Em primeiro lugar, adoro poemas e vc escolheu um tema maravilhoso q se refere ao sentimento mais nobre de todos:o Amor!O poema diz a verdade...amar aquilo q está perdido, confunde o coração...não sei se interpreto da maneira mais fiel ao poema em si,mas quando o li pela terceira vez aqui no seu blog, só me veio algo...q ás vezes, acontece em nossas vidas de encontrarmos o Verdadeiro Amor...ele simplismente aparece do nada,quando menos esperamos e quando finalmente temos a grande e rara chance de viver cada segundo desse tão nobre sentimento,simplismente o deixamos sair,ir embora assim como entrou em nossas vidas...desistindo do Amor antes mesmo de lutar por ele...e quando "termina",o q acredito q jamais aconteça, pois o verdadeiro Amor jamais morre,percebemos Sua tão nobre presença,ainda dentro de nós...amo poemas sobre esse assunto e quando o li não podia deixar de fazer esse humilde comentário...existem pessoas q não acreditam no Amor verdadeiro,aquele q dura para sempre, para além da eternidade, q faz faltar o ar,q literalmente nos faz sentir como se estivéssemos nas nuvens...ahuahu...acredito nesse Amor,q a cada dia se preocupa com o ser amado,acredito naquela famosa frase q muitos falam quando estão amando:q sua felicidade é a minha felicidade e a sua tristeza é a minha tristeza...q se o ser amado for feliz tb serei...enquanto eu viver,acreditarei no Amor...parabéns pelo seu poema predileto jamill...vejo q seu excelente bom gosto alcança todos os setores da Arte...abraços...sucesso e FELICIDADE!!!