quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Filme & Moda - Personalidade e Anatomia no Vestuário de 'Sin City' | Estudando o Figurino

Sin City é filme com corpos esculturais. Então, nada mais natural que siga um dos pontos mais fortes na visão contemporânea da moda, que é exibi-los. E o guarda-roupa feminino é atrevidamente anárquico. Um exemplo é a personagem Gail (Rosário Dawson), com toda aquela beleza, suspensa em salto agulha e com correntes e armas, fazendo da roupa um reflexo de sua coragem, liberdade e individualismo. Tudo muito erótico... Bom, vai depender de como você quer ver a personagem: sedutora ou livre. Uma observação importante, presente no filme, é que os penteados refletem muito do temperamento das personagens. Gail e a garçonete Shellie (Brittany Murphy), por exemplo, têm os rostos livres da interferência de uma franja ou de mechas. Isso causa impressão de um temperamento corajoso e destemido. Mas, não é uma estratégia usada apenas em filmes, é um recurso para o dia-a-dia – de acordo com sua personalidade na vida real. Personagens mais ‘suaves’ como a dançarina Nancy Callahan (Jéssica Alba), com aquele corpo escultural, com um ar de doçura e fragilidade por conta da franja no cabelo; em alguns momentos, a garçonete Shellie toma uma identidade confusa, que também é revelada pelo penteado. Tudo em torno de um vestuário mínimo de lingerie, gabardine e peças andróginas que mexem com a imaginação. Assim como uma das mais interessantes personagens, a samurai Miho (Devon Aoki), com seu estilo oriental, legging, sapatilhas e maquiagem, tudo muito atual, com mais tecidos sobre o corpo e não menos sexy que suas amigas. O filme é uma constante troca de identidades e tudo isso é revelado através das roupas e acessórios. O figurino feminino é atrevidamente sexy, fugindo do charme da provocação sem malícia. Então, você me pergunta em qual época da moda viveria Sin City (?). A resposta não é outra senão a época de hoje, afinal de contas a maior parte das mulheres da vida real acabou aderindo a um grau de insatisfação estética com a moda, como se os recursos e tecidos utilizados não tivessem mais tanta importância diante das soluções cirúrgicas (silicones, retirada de costela, etc.), dessa maneira, as peças diminuíram, os decotes e fendas aumentaram, revelando corpos esculturais, que são o que há de mais buscado hoje em dia na questão estética através de exercícios e cirurgias plásticas. O vestuário masculino não muda muito, nem em filmes inusitados como esse. Sempre com sobretudos impermeáveis, seja de couro ou camurça com aplicação sintética, é tudo muito simples, mas com caimento perfeito. Ombros alinhados. Um detalhe ou outro que representa bem o estilo de ontem, como os sobretudos escuros, e o estilo de hoje, como o All Star vermelho do Dwight (Clive Owen). Apesar desses contrastes, muita coisa remete aos anos 40. Numa atmosfera ‘noir’. As roupas masculinas revelam uma função importante quando são apresentadas na penumbra, em instante de determinação do suspense, valorizando o papel de cada personagem. Apesar de ‘Sin City’ ser o apelido de Las Vegas, nos Estados Unidos, tanto os cenários quanto a inspiração para as roupas têm mais a ver com Nova York. E como ‘The Big Apple’, a moda em Sin City também varia muito, de forma despreocupada, criativa, muitas vezes ousada.
.
Por Jamill Barbosa Ferreira, para 'Estudo Sin City', Florianópolis-SC

Nenhum comentário: