domingo, 29 de junho de 2008

Comportamento – A Etiqueta de Enviar Flores

Uma pessoa só deve mandar flores depois de visitar pela primeira vez a casa de alguém. Mesmo assim é um cuidado enorme: tem de prestar atenção na decoração, nas flores que estão nos vasos da casa para que a escolha seja perfeita. Na dúvida, mande uma orquídea bem florida, plantada, e branca. Ninguém leva flores no dia, elas devem ser enviadas no dia seguinte, senão vai ser complicado porque a casa já é decorada e vai tomar tempo da dona da casa que vai arranjar local, vaso para colocar as que você levou. Então, flores devem ser enviadas no dia seguinte, e quando os donos da casa não estiverem recebendo. Outra opção para quem não vai dar flor plantada é mandar junto do buquê uma pelúcia (ursinho, coelho, gato, etc.), pois as flores murcharão, mas a pelúcia permanecerá trazendo a lembrança do seu gesto. O cartão que acompanha as flores deve ser escrito à mão por você e com caneta preta – a única exceção é quando a compra é feita em floricultura à distância (por telefone, internet), mesmo assim é você quem tem de criar a mensagem, se você não sabe como fazer uma mensagem é porque não tem motivo para mandar flores –, embaixo do seu nome ponha seu número de telefone... As mulheres não gostam de além do trabalho de ter de responder agradecendo as flores, ainda se preocuparem em procurar número em agenda e tudo mais. Não importa o tempo que for para que ela responda agradecendo, ela vai entrar em contato sim por telefone ou enviar um cartão pelo motorista ou Correio. Para um aniversário ou se você foi jantar ou almoçar na casa de alguém e é a segunda, terceira vez que isso acontece, basta enviar um livro, ou CD, DVD com um bilhete agradecendo ou mesmo telefonar no dia seguinte agradecendo. Se o homem recebe um cartão, presente ou carta de uma mulher, ele deve responder no exato momento que recebe, telefonando imediatamente para ela ou enviando um telegrama urgente... A mulher tem sempre carta branca para atrasar respostas, mas o homem não pode atrasar nunca e deve sempre encher as mulheres, de qualquer idade, de mimos. Eu digo sempre: homem nasceu para paparicar as mulheres mesmo.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Opinião & Diário - Vida Longa ao Forte Exemplo Deixado por Ruth Cardoso

Fiquei surpreso quando soube da morte da Dona Ruth Cardoso, que aos 77 anos foi vítima de um problema cardíaco na noite de ontem e não resistiu. Ela é um exemplo marcante da mulher moderna e inteligente que tem toda essa preocupação em manter suas atividades acadêmicas – sempre reconhecida por isso – mas que mantém a sensibilidade diante de tudo que precisa de acerto nesse nosso mundo. Sem falar que ela foi casada por 56 anos com o Presidente Fernando Henrique Cardoso e, portanto, é também um grande exemplo de mãe de família, de quem realmente tem o casamento como sagrado. Uma mulher séria. Acho que nosso país está cada vez mais complicado por conta da falta de base familiar, pais separados, filhos com mais e mais problemas decorrentes dessa maluquice de ver toda essa confusão na família: é mãe com namorado que também é desquitado, é pai com outra mulher que já tem outros filhos. E não fica só nisso... Minha gente, nós precisamos ter uma base mais sólida com relação a tudo isso... O Governo tem sim um papel importante: dando escola, alimentação para as pessoas... Mas a base familiar e o aprendizado cultural que só uma família pode passar é também muito importante; isso tudo junto é que pode garantir um país mais equilibrado em tudo. Com toda essa bagunça, como os pais terão segurança de passar algum ensinamento sobre valores que devem ser mantidos? As crianças percebem os erros e elas apontam esses erros para os pais e nos pais, tornam-se desobedientes em represália ao que desaprovam no comportamento familiar e então é uma bola de neve. Isso está bem visível, basta um pouco mais de atenção. E são tantas as falhas... Vivemos num país que tem um sistema de saúde pública terrível, muitos médicos insensíveis que agem mecanicamente, acumulando requisições que vão aumentar um salário e isso é horrível... Todo mundo sabe que isso acontece e depois há reclamação de falta de investimentos... Mas não é só investimento financeiro não, tem de ter profissional com alma boa. Seja hospital, creche, o que for, é preciso que tenhamos a consciência de que estamos dividindo responsabilidades a cada instante e que devemos ser solidários uns com os outros, porque não podemos prever o dia de amanhã. Claro que há médicos excelentes por aí nas emergências, em todo lugar, e que há gente competente nas escolas e creches, mas isso tudo é uma minoria... Muitas famílias sofrem neste país e a falta de base familiar nos jovens também piora gravemente a situação de tudo que é ruim que você possa imaginar... Cada vez mais a gente liga a televisão e vê uma escola que foi metralhada por alunos que eram contra professores desta ou daquela matéria, gente que espanca um jovem indefeso que vai parar em UTI, aviões lotados que manobram bruscamente para evitar ser alvos de tiros, coisas horríveis acontecendo... Abre uma revista hoje e vê um casamento, amanhã abre outra e lá está o casamento terminando... Violências gratuitas, amores baratos... Uma banalização de tudo. É preciso respirar fundo e pedir a Deus que Nos Proteja de tanta barreira. Uma mulher como a Dona Ruth Cardoso, que lutou contra as desigualdades e contra a violência, que foi casada por 56 anos, estruturou de forma magnífica sua família e fez tanto pelo social, deve ser sempre alvo de admiração, porque se cada um de nós fizesse alguma coisa, se empenhasse num objetivo (ajudando animais de rua, combatendo pobreza humana, dando educação, etc.), o nosso Brasil seria para as futuras gerações um país bem bonito, em todos os sentidos.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Moda – Lino Villaventura e a Moda de Contos de Fadas | São Paulo Fashion Week – verão 2009

Lino Villaventura encerrou, ontem, a 25ª São Paulo Fashion Week com uma coleção artística, multicolorida e cheia dessa beleza atual em moda. Até parece um desfile em Paris... Todo aquele atrevimento em produção, digno dos grandes desfiles de moda de hoje em dia - estou me adaptando. O Lino apresentou uma profusão de cores, alguma coisa trapézio aqui e ali, muita coisa esvoaçante para as mulheres e homens justos. Pretos com brilhos, bordados e transparentes... Achei muito divertido e os modelos pareciam Objetos Desfilantes Não-Identificados com tanto apetrecho na cabeça, óculos inusitados, como se fossem convidados para um baile do Mágico de OZ, um sonho de cores, levezas e despreocupações... A tendência das listras, mínimas e grandonas, algumas enzebradas e outras coloridas de cima e dos lados e muitas estampas, seguindo linha que passou pelos outros desfiles da semana e que na versão Lino Villaventura ganhou uma apresentação especial, divertida. Obras de arte ambulantes... E no final, lá vem o Lino, divertido e envolto em preto, porque toda a cor já estava na coleção e, antes, em seu talento. Agora que acabou, é hora de acordar.


Fotografias: Carlos Zambrotti / Ag. News.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Social - Celebridades do Oriente e da Gente Atraem as Atenções | São Paulo Fashion Week

Ontem foi a abertura da maratona São Paulo Fashion Week de desfiles... Muita gente que esteve presente foi publicada, até mesmo mais do que as próprias produções de moda desfiladas – mesmo porque, cá pra nós, por mais que os desfiles, na maioria e idependente de evento, queiram apresentar “novidades”, tudo é repetição e o evento em si, com presenças importantes, acaba sendo mais atraente para público, imprensa. Sou otimista e sempre espero coisas bem bonitas mesmo e que causem uma positiva surpresa... A primeira grande celebridade presente na abertura foi o estilista Kenzo Takada. Ele assistiu desfile Osklen e que veio participar da SPFW com compromisso de fazer palestra. Quem também esteve presente no dia de estréia foi o ator de sucesso Sérgio Marone, considerado um dos homens mais bonitos do Brasil, que foi ver desfile 2nd Floor.

terça-feira, 17 de junho de 2008

Doe R$ 5,00 Para o Bem de Animais Abandonados na Paraíba


Caros leitores, é quase impossível descrever meu amor pelos animais - e o amor que os animais têm por mim. Todo santo dia me entristeço com notícias sobre brutalidadades cometidas contra esses seres especiais. Tenho certeza que não alcançarei as mudanças que quero ver com relação ao bem dos animais, mas tenho fé em Deus que poderemos fazer muito para que um dia todo ser vivo possa ser respeitado, amado. Então, eu poderia escrever muito aqui sobre meu amor pelos animais, meus esforços para que o máximo de animais que eu possa ajudar sejam salvos e preservados, também pela minha sensibilidade e minhas tristezas quando não posso fazer nada por um bichinho, ou quando cheguei tarde demais para ajudar... É impossível explicar o que sinto. Mas, o que me alegra e me faz sentir esperança, é que no meio de tantas violências e pessoas insensíveis, frias e malvadas, há ainda muita gente boa por perto, ou distante... Descobri hoje que na Paraíba, cidade de Campina Grande, tem uma associação de pessoas que recolhem animais de rua e cuidam deles. Essa associação é a Associação de Amigos dos Animais Abandonados da Paraíba - A4. Você, leitor do blog, que gosta dos meus textos, que acompanha o que tenho feito em matéria de auxílio aos animais, que ajude essa associação com uma doação de apenas R$ 5,00 para que eles continuem ajudando os animais de rua, livrando essas vidas inocentes da carrocinha, do sacrifício brutal. Visite o website da associação, acesse o link "AJUDE" e tome nota da conta bancária para depositar sua doação. Quando fizer a doação, me avise que fez para que eu possa agradecer a cada um que fizer... Vamos ajudar os animais, esses seres inocentes, especiais e tão merecedores da vida quanto cada um de nós. Eu vou ajudar, e tenho certeza que você, que tem um bom coração, também vai.

CONTA BANCÁRIA PARA AS DOAÇÕES:

BANCO DO BRASIL
Agência 1634-9
Conta corrente: 17.031-3

website: http://www.aquatro.xpg.com.br/


Vamos ajudar, juntos!

sábado, 14 de junho de 2008

Comportamento - O Melhor Primeiro Encontro Amoroso | Um Convite Para Jantar

Sempre recebo e-mails pedindo dicas sobre "como começar um namoro" (?), depois manter um namoro, um casamento. Dicas para os homens conquistarem as mulheres... Homens apaixonados que não sabem convidar uma garota para jantar. Diante disso, me agrada saber que nos tempos malucos de hoje ainda há certo romantismo e respeito no ar... Eu acho engraçado, porque minha idéia é uma só: quem segura uma relação é a mulher e não o homem. Então, o homem deve dizer o que sente, sempre com respeito, e a mulher vai dando as coordenadas para as próximas atitudes do homem. Hoje em dia, como o papel de ambos está sempre em sinal de disputa, homens e mulheres acabam brigando por coisa pouca. As mulheres reclamam do comportamento dos homens e muitas têm razão... Mas, mesmo as que reclamam continuam querendo o namorado complicado ou o marido complicado. Então, continua que a mulher é quem decide o que fazer. Os defeitos e virtudes masculinos e femininos são bem visíveis, assim como o papel masculino e feminino numa conquista. Todo homem tem por valores culturais e até instinto, esse comportamento de trair e se arrepender, trair outra vez e se arrepender novamente e assim por diante. Então, as brigas acontecem porque o namorado olha para outras garotas no shopping, no trânsito... Eles reúnem amigos, assistem futebol e depois passam para os programas de comentários, opinam entre eles e enquanto isso as namoradas ficam muito chateadas mesmo. Os rapazes também confundem som do carro e o próprio carro com masculinidade e então quanto mais alto está o som e quanto mais potente for o carro, mais ‘machos’ eles são. As namoradas acham chato ficar no meio dessa disputa de som, de motor... Nem todos agem assim, mas a grande maioria das leitoras relata que tem namorado ou marido cheio dessas manias... É uma total seqüência de comportamentos “infantis”, dizem, indignadas, as apaixonadas mulheres. Por outro lado, os homens também têm muitas reclamações a fazer... Que as mulheres nunca gostam dos filmes que eles alugam, reclamam da atenção que eles dão para as amigas delas e olham demais para outras mulheres. Que os rapazes nunca admitem quando erram e dão jeito de jogar toda a culpa nas namoradas. Enfim, tudo isso gera brigas bobas, algumas vezes criam conflitos sérios nos namoros e casamentos, mas tudo isso é comum. O que é inadmissível numa relação é a violência. Essa semana muitos e-mails de namoradas indignadas com os namorados que ignoraram o dia dos namorados... Eu sei que é uma data comercial, que esse negócio de amor, paixão, deve ser demonstrado todo dia, de várias maneiras... blá, blá... Mas acontece que o dia dos namorados tem todo um clima mais que especial para essas demonstrações, incluindo que é uma data que tanto o namorado quanto a namorada fica mesmo esperando algo de muito bom e especial acontecer. Mas, antes de namorar, logo no primeiro encontro, a garota já tem uma idéia de como será um namoro com o rapaz... O homem, por sua vez, nem sempre sabe como agir num primeiro encontro e esquece que para expressar interesse numa garota não precisa, necessariamente, falar o que sente e esperar um “sim” dela. É nessas horas que deve haver um pouco mais de paparico... A atitude vale mais. Eu vou falar do primeiro encontro, que é base de todo o relacionamento que virá ou não pela frente. Pois é importante o homem reconhecer que toda mulher é especial, que alguns até podem achar divertido essa moda do “fica” - eu sou contra esse negócio de "ficar", estamos falando de namorar -, mas acabam percebendo que intimamente não é ficando que cada um vai cobrir sua carência interior, a necessidade de amor. Hoje eu vou atender aos pedidos dos leitores por dicas sobre como eles devem fazer para que um primeiro encontro seja no mínimo agradável.
.
CONVIDANDO PARA JANTAR: sempre notei que os rapazes têm medo das garotas. Muitos gaguejam na hora de uma declaração, de fazer um convite ou mesmo de dizer um “oi”. Toda garota gosta de homem direto no que quer... Se o homem quer convidar uma mulher para sair, ele deve dizer exatamente o que quer: “Você quer jantar comigo sexta-feira?” O máximo que pode acontecer é ouvir um “não”. Tem de ter coragem, naturalidade e confiança. Se ela não quiser jantar com você, paciência, há muitas outras mulheres no mundo. Mas se ela diz “sim” ou “pode ser”, então você tem de ser muito direto e se não souber onde ela mora, deve perguntar agora e completar o convite dizendo que vai buscá-la e a hora: “te pego às 20hs na tua casa”.
.
ANTES DO JANTAR – Para o homem: prepare sua casa com bons DVDs, bebidas suaves, vinho, bombons, música. Uma pilha de toalhas limpas na bancada do banheiro. Tudo isso para no caso dela querer ir ver um filme com você na sua casa... Antigamente isso era quase impossível num primeiro encontro, mas os tempos são outros. Eu, particularmente, prefiro o ritmo de antes, porque tudo acontecia no tempo certo e era mais bonito. Também há possibilidade dela te convidar para entrar quando você for deixá-la em casa... Vai depender muito do estilo dos dois.
.
BUSCAR A GAROTA: Depois que ela aceita seu convite, é obrigação do homem ir buscar a garota em casa. Não importa se vai de carro, ônibus, metrô ou táxi, é o homem quem vai buscar a garota na casa dela. Seja pontual. Quando estiver chegando ligue para ela e avise. Quando chegar, desça do carro, espere por ela fora do carro... Se ela demorar a te receber ou ainda estiver se aprontando, seja cavalheiro, fique de pé esperando e aceite normalmente o atraso dela – homem é obrigado a esperar a mulher, só que mulher nenhuma agüenta atraso de homem. Precisa acompanhar e abrir a porta do carro para ela, apesar de hoje em dia muitas garotas detestarem isso, pois essas são bem independentes para tudo e muitas detestam essa delicadeza que consideram “coisa efêmera”: vai passando na medida em que o casal fica mais íntimo. Eu ainda considero bonito abrir a porta. Mas... Feio mesmo é o homem ficar dentro do carro esperando a garota entrar.
.
CHEGANDO AO RESTAURANTE: Chegando ao restaurante, se tiver manobrista ele vai abrir a porta para ela descer. Vá ao encontro dela e assuma seu posto de companhia, dê o braço ou a mão para ela. As garotas sabem que os homens ficam mais vaidosos quando desfilam de braço dado com elas... É exatamente isso. Se o restaurante não tem manobrista, você estaciona, desce do carro e vai ao encontro dela – mesmo que o caminho para o restaurante seja pelo seu lado.
.
À MESA: O homem escolhe a mesa, antecipadamente por telefone ou na hora – depende muito do restaurante. O homem deve proteger a mulher desde os mínimos detalhes... Na mesa, já sentados, elogios são bem-vindos e toda mulher gosta. Ela sabe que se você a convidou para sair, é porque você a acha especial, bonita... Então, não precisa explicar nada. Tem de ser direto: “você tem olhos lindos”. Homem nasce para paparicar as mulheres mesmo. Evite olhar para as pessoas das outras mesas... Porque uma resposta a uma indelicadeza dessas seria a sua convidada dizer que quer ir para casa. O jantar é para ela, você vai dedicar seu tempo para ouvi-la, conhecê-la melhor e fazer com que ela sinta-se bem com você. Homem não pode nem deve tocar no rosto, no cabelo da garota, mas a garota pode fazer carinho no rosto do homem se ela quiser. O máximo que um homem pode num primeiro encontro, enquanto ainda estão em restaurante, é tomar iniciativa de pegar na mão – é questão de respeito mesmo.
.
CARDÁPIO E PEDIDO: O homem deve esperar quanto tempo for preciso para a garota decidir o que vai pedir. Muitas gostam de ler todo o cardápio e depois a carta de vinhos, é até elegante e demonstra uma dedicação maior ao momento. Depois, quando ela escolher o que vai querer, você então comunica o pedido dela e o seu – inclusive ao sommelier (especialista em vinhos). Enquanto esperam, conversem, dê atenção para tudo que ela fizer e disser. Entregue todo seu tempo nesse jantar para ela...
.
A CONTA: Quem paga o jantar é o homem. Não importa esse discurso moderno de dividir conta, nada disso. Acho horrível o homem aceitar dividir conta com a garota. Escolha um restaurante que você possa pagar. Então, imediatamente, quando a conta chegar, não precisa dar atenção ao garçom nem conferir nada, basta entregar o cartão de crédito junto à conta. Não interrompa o assunto com ela, não mude sua atenção.
.
TERMINADO O JANTAR: Dentro do carro o homem pergunta se ela quer ir dançar ou passar num barzinho, ver um filme. Ela já sabe que a intenção é ficar à sós com ela. Se ela decidir ir para casa, o homem deve levá-la para casa, descer do carro junto com ela, acompanhá-la até a porta, a portaria, e se ela não convidar para subir, só deve voltar ao carro depois que ela entrar em casa, no prédio. Agora, se ela quiser ficar mais a vontade com ele, o homem pode convidá-la para ver um filme em sua casa, tomar um vinho... Aconteça o que acontecer, se ela quis partir para uma dança, assistir um filme ou um papo regado a um bom vinho na sua casa, é obrigação do homem levá-la em casa.
.
O DIA DE AMANHÃ: O homem deve telefonar à tarde para a garota, e sem muita enrolação convidá-la para um cinema, um passeio, ver uma exposição... A partir daí, é um pulo para um namoro.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Moda - Graça Ottoni: Moda Sofisticada Emoldurada Pelo Estilo Carmen | Fashion Rio - verão 2009

Teve todo um bafafá ontem em torno do desfile Graça Ottoni primavera/verão 2009 no Fashion Rio. O motivo de tanta atenção, além da moda da estilista, foi que a produção de apresentação do desfile (cabelo e maquiagem) foi inspirada na Carmen Mayrink Veiga, a jet-setter brasileira listada como uma das mulheres mais elegantes do mundo. Gostei das roupas apresentadas, das maquiagens. Mas... O cabelo, numa ou noutra, não estava no ponto certo do glamour à altura da inspiração – mas a gente entende como visão e manifestação artística. O trabalho do maquiador foi perfeito. Enquanto o desfile rolava, todos, especialmente a imprensa, buscavam inquietos a própria Carmen Mayrink Veiga na primeira fila. Ela vem? Ela não vem? Ela está chegando? Ela já chegou? Mas ela não estava presente. Isso me lembra o desfile da Eliza Conde, em janeiro deste ano... A chegada da jet-setter para assistir o desfile causou tanto frisson que modelos e maquiadores pararam tudo para verem-na entrar na sala do desfile. “Dá até arrepio de emoção”, diziam as modelos. Elas têm toda razão, porque em matéria de moda, não existe outra brasileira que teve tanto acesso à alta moda internacional e aos salões de bailes mais chiques do mundo... A inspiração se explica basicamente pelo bom gosto que é o Estilo Carmen, mas também serve muito bem como estratégia de marketing, pois todo mundo que tem alguma ligação com moda, simplesmente ama a Carmen Mayrink Veiga. No mais, de um jeito ou de outro, todo mundo acaba ficando mais vaidoso mesmo com uma ligação à beleza e elegância dessa deslumbrante jet-setter. Então, a coleção Graça Ottoni começou a entrar na passarela cobrindo modelos com ar sofisticado, cabelos lá em cima de tão altos, maquiagem que acentua lábios e olhos... Sedas, organzas... Tecidos finos em longos e belos decotes em V, que esticam o corpo. Muito colorido. Floridos abstratos. Vestidos compridos que pareciam flutuar arrastando as modelos pela passarela. Pulseiras grossas nos braços eram também detalhes na produção. Uma belíssima coleção, mas o cenário do desfile não combinava com a sofisticação das roupas... Outra coisa é que algumas modelos apareciam com aquela mania horrorosa de projetar corpo pra frente fazendo uma barriga que nem merece ser escalada para outro desfile. No mais... A mulher Graça Ottoni, apresenta-se muito especial, chique, elegante, rica e cosmopolita. Então surgem os vestidos enzebrados, listras brancas e pretas que esticam aqui e alargam ali o corpo da mulher. Nada justo, nada ‘pesado’, tudo suave e chique... Minha nota é dez para as roupas e para a maquiagem, mas os cabelos podiam ser bem altos como estavam, mas que fossem muito bem penteados, com cachos grandes nas pontas para entrar verdadeiramente no Estilo Carmen, que foi a intenção da produção cabelo/maquiagem.




Fotografias: Ricardo Leal e Fotosite.


segunda-feira, 9 de junho de 2008

Moda – Walter Rodrigues Recria Receita Européia | Fashion Rio verão 2008/2009

Ontem, no Fashion Rio, o Walter Rodrigues apresentou sua coleção de verão 2008/2009. A inspiração foi a China (notava-se um ou outro sinal na produção: maquiagem, cabelo...) e a atriz Audrey Hepburn... Muitos pretos: preto fosco e com brilho. Algumas estampas coloridas, quadril justo, impossível não lembrar das receitas de Balenciaga e Givenchy – e seguir esse caminho é mesmo muito chique. A mulher Walter Rodrigues é muito sofisticada, independente da inspiração... O primeiro modelo a ser desfilado foi um vestido preto com decote assimétrico que parecia ter sido feito para a Dita Von Teese – ela que sempre tenta fazer estilo ao ar de Audrey Hepburn. A coleção traz largos decotes (muita coisa com tomara-que-caia) que deixam os ombros mais largos, tornando estreita a silhueta – efeito que também é conseguido com enchimento nos ombros – e considero esse recurso muito chique, dando curvas aos corpos tão secos de hoje. Também os decotes em V que alongam o pescoço e deixam a mulher aparentemente mais alta, combinando com saias pretas em ‘riscas’ cromadas verticais que também esticam o corpo e parecem raios de luz – o mesmo efeito também aparece em blusas. As modelos passavam aceleradas na passarela ao som techno. Uma observação importante com relação a moda do Walter Rodrigues é que é moda clássica e atemporal, pode sim ser uma re-estilização de tudo, mas ele faz muito bem, e entra no armário de toda mulher, independente da idade. Um toque suavemente moderno, estampas pretas, fumê, no rosado... Gostei muito da coleção. O Walter Rodrigues sempre trazendo o chique para as mulheres brasileiras. Um chique internacional, que entra em qualquer grande centro do mundo.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

O Funeral de Yves Saint Laurent em Paris

De domingo até agora acompanhei fielmente cada notícia internacional sobre as homenagens feitas por toda a imprensa européia para Yves Saint Laurent (1936 – 2008). Hoje aconteceu a missa fúnebre na igreja Saint-Roch e muita gente estava presente. Juntos, durante a missa, Pierre Bergé e a mãe do “Pequeno Príncipe” (como era chamado), Lucienne Mathieu-Saint Laurent, com 95 anos. Nicolas Sarkozy, presidente da França, e sua mulher Carla Bruni, amigos do costureiro, estavam presentes. Também estava a sempre amiga e presente em tudo que Yves Saint Laurent fazia, a atriz Catherine Deneuve que compareceu usando uma versão menor do “coração”, a jóia criada pelo mestre e levando um ramo de trigo – para quem não sabe, o escritório de Saint Laurent na avenue Marceau era repleto de vasos com trigo, era sua superstição imaginar que o trigo lhe trazia sorte. Farah Diba, viúva do xá do Irã também estava lá, os nomes da moda: Alber Elbaz, Kenzo Takada, Hubert de Givenchy, Christian Lacroix, Jean-Paul Gaultier, John Galliano, Valentino e muitos outros famosos e anônimos estiveram presentes. Toda a multidão aplaudiu a chegada do caixão na igreja e quem não conseguiu entrar, assistiu a cerimônia pelo grande telão instalado do lado de fora. Pierre Bergé e Catherine Deneuve (que recitou um poema) falaram homenagens durante a missa e músicas nas vozes de Maria Callas e Jacques Brel e trecho de Réquiem de Mozart acolhiam os presentes. Em sinal de respeito, todas as lojas Yves Saint Laurent do mundo fecharam as portas por 2 horas. O corpo foi cremado em cerimônia íntima, depois da missa... As cinzas do costureiro ficarão em Marrakech, no Marrocos, numa propriedade dele e de Pierre Bergé. Todo final é triste, mas como disse Bergé, “tudo que Yves Saint Laurent criou na moda está pelas ruas de todas as partes do mundo”. Em meio à despedida, um detalhe que não passa despercebido aos que sempre acompanharam YSL, é que todos os presentes, de preto como tem de ser, estavam usando a cor preferida de Saint Laurent. Esse grande costureiro que revolucionou a moda feminina estará sempre presente na moda e na lembrança dos que têm bom gosto.

Fotos: Yves Saint Laurent e seu cão, Moujik, em 2002 ; Lucienne Saint Laurent, Pierre Bergé e Catherine Deneuve; imagens de Catherine Deneuve e do casal Nicolas Sarkozy e Carla Bruni. Na foto à direita, Catherine Deneuve e a manequim Mounia, a primeira manequim negra e que desfilava para YSL.

Fotos: Jean Paul-Gaultier, John Galliano, Kenzo, Stefano Pilati, Valentino e Cláudia Schiffer, Sonia Rykiel e Vivienne Westwood.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Diário & Moda – As Coisas Belas da Moda Têm o ' Sentido Yves Saint Laurent '

Coincidentemente, há uma semana eu vinha relendo, antes de dormir, a biografia do Yves Saint Laurent, escrita por Laurence Benaïm – já havia lido na adolescência. Depois, conversando com amigos, muitos que tinham ligação com moda me revelaram que nessa semana que antecedeu a morte do Yves Saint Laurent, eles compraram fragrâncias, acessórios, releram livros, reportagens sobre esse grande nome da alta costura... Como se estivéssemos prevendo que algo iria acontecer. Nunca se sabe... O fato é que com sua genialidade protegida por seu semblante elegante, sensível e delicado, ele encantou a todos e fez suas idéias entrarem em todos os níveis sociais. Hoje em dia você passa pela rua e vai encontrar e avistar muitas mulheres de calças (independente do tecido) e no verão muitas de shorts e bermudas femininas pelas ruas... A maioria não entende muito de moda – sobretudo num país de Terceiro Mundo –, mas adotou o ‘unissex’. Isso tudo é um pequeno reflexo das idéias do Yves Saint Laurent. Claro que ser feminina ou masculinizada vai depender do temperamento, da personalidade de cada uma, mas as idéias vieram dele e todas adotaram. Nas passarelas, as manequins negras desfilam cada vez mais... Ele foi o primeiro a colocar uma manequim negra na passarela, desde a primeira coleção YSL em 1962... Pierre Bergé, que fundou a maison Yves Saint Laurent com ele, e que também era seu fiel companheiro há mais de 50 anos, declarou para a rede de televisão francesa LCI: “Estou destruido, impressionado. Mas, não quero fazer pública minha dor, porque é particular. Só quero dizer que Yves Saint Laurent foi um revolucionário da alta costura nos planos estético, criativo. Ele soube acompanhar a evolução das mulheres”. Então, muita gente começou a fazer homenagens, nomes famosos como a atriz Catherine Deneuve e a modelo Laetitia Casta, amigas do costureiro, a brasileira Carmen Mayrink Veiga que é a única brasileira citada na biografia oficial do costureiro, escrita por Laurence Benaïm. Também nomes da moda, como Christian Lacroix, Jean Paul Gaultier, Marc Jacobs, Óscar de la Renta, Yohji Yamamoto e Vera Wang. Realezas e políticos do mundo todo. Todos expressam seu pesar diante dessa perda que vai além do universo da moda, passa pelas artes num todo e pelo exemplo de humanidade que ele deixou. Não é preciso falar muito sobre ele para que tenhamos a sensação do elogio, das homenagens cumpridas. Tudo que se diga sobre Yves Saint Laurent sempre será pequeno diante da imensidão de belezas e utilidades que ele fez para a moda... Na noite de domingo, após a notícia, eu me esforcei para escrever e registrar no blog essa grande perda. As palavras foram mínimas, mas consegui... Perseverança é uma lição deixada por YSL e que todos nós possamos ser perseverantes: por um mundo mais belo, em tudo. Sua assinatura embelezou diretamente personalidades mundiais como Nan Kempner, Paloma Picasso, Lauren Bacall, Marella Agnelli, Marie-Hélène de Rothschild, Betty Catroux, Loulou de la Falaise e muitas outras famosas e não-famosas do mundo todo que indiretamente foram influenciadas pelas suas idéias. Quando ele parou em 2002, eu senti uma tristeza enorme e ele já desacelerava para descansar. Domingo, quando a notícia de sua morte surgiu, a tristeza se completou... Mesmo sendo YSL um gigante na moda, senti muita pena dele. Amanhã, quinta-feira, dia 5 de junho de 2008, será o funeral na Igreja de Saint-Roch, na Cidade Luz. Será que nós ainda alcançaremos alguma beleza neste mundo em que tudo de belo está acabando? Eu não sei... Vamos torcer que sim.

Fotos: YSL com Catherine Deneuve, em 1966; Talitha Pol, uma das melhores amigas, passeando em Roma; Bianca Jagger, em 1971, usando YSL em seu casamento em Saint Tropez; com Katoucha, usando o famoso ‘coração’, cumprimentando o costureiro após desfile em 1989; novamente Katoucha, desfilando em 1997; com Laetitia Casta após desfile primavera-verão 1999 e com Victoire Doutreleau, a primeira a usar ‘O Coração’, a jóia criada por YSL.

domingo, 1 de junho de 2008

Adeus Yves Saint Laurent - A moda parou em choque

Morreu, aos 71 anos, o maior costureiro do mundo, Yves Saint Laurent. Todos que conhecem minha opinião sobre moda, sabem o quanto esse grande criador, aposentado em 2002, representa para mim. Ele deu poder à mulher através das suas criações da alta-costura, obras de arte expostas pelos mais importantes museus de moda do mundo, apresentando lições para as futuras gerações, os que ainda possam ter um pouco de bom gosto em meio a tanto dissabor que tem aparecido na moda – da moda de rua até a alta moda. Não havia dúvida na moda de Yves Saint Laurent, ele deu certezas aos caminhos da moda feminina. O poder da mulher em vários setores, sempre com muita sensualidade e beleza. A partir de seu exemplo, os novos nomes da moda podem traçar processos de criação, tendências, objetivos... Agora e sempre, quando tivermos de falar sobre qual o maior nome na criação de moda no mundo, será fácil responder, porque temos um modelo pronto: Yves Saint Laurent. Ele fez o que tinha de ser feito.
Fotos: 1961, na mesa de trabalho da Rue la Boetie, em Paris; em 1996, com Claudia Schiffer que usava no desfile o 'coração', a jóia criada por YSL e sempre aparecia sobre um vestido especial no desfile; em 1973 com Catherine Deneuve e a bailarina russa Maia Plissetskaia, depois de um desfile; em 1969; em 1985.

Moda - A Expressão dos Listrados de João Pimenta | Casa de Criadores 2008/2009

Desde quarta-feira tenho estado bem atento a tudo que tenho visto da Casa de Criadores nessa 23ª maratona de desfiles (2008/09) que tem atraído as atenções em São Paulo. É tudo bem interessante... Vou comentar a coleção masculina apresentada por João Pimenta. As criações não são uma novidade técnica ou de produção na moda, mas vale e eu gostei; quase todas justas, mas com equilíbrio no quadril. Então são macacões divertidos com bolsos grandes, contornados em tom pastel e de fundo marinho... Gostei muito do número 04, um pijamão bem bacana para a tranquilidade de estar em casa e receber informalmente alguns amigos, ou acordar e tomar café da manhã sozinho, enfim, tudo fica bem agradável com uma roupa tão confortável e de cor suave. Parece que uma coleção de canetas-contorno estourou em cima da roupa - e para quem gosta de arte, de interagir com arte, é uma boa. Não gosto de azul, mas eu usaria fácil, fácil os números 02 e 05. Adorei a combinação número 02, de azul, bege e preto. E usaria. Gosto das listras da camisa em fundo preto, casaco e calça que alongam o corpo e tudo combinando. Como gosto, as peças não são muito justas. Há ainda o efeito da manga raglã nos modelos 01, 03 e 09 que geralmente não ajuda os que têm ombros caídos, mas as listras facilitam. O macacão número 01 com mangas bem largas, com listras que ajudam a deixar ainda mais largos os braços. O número 03 causa o mesmo efeito do número 01, listras alargando os braços, mas o short exige perna bonita e volumosa para não ficar desproporcional. Serve perfeitamente para quem tem pernas largas, tronco menos largo... O equilíbrio através dos recursos da moda. Ideal para quem é muito magro ou quer aparentar braço grandão. As listras são bem grandonas e alargam, esticam o corpo. Há muitos shorts acima dos joelhos que particularmente não adoto (com exceção do número 05, que eu adotaria e as listras esticam a pessoa), mas a receita é ótima. O número 06 eu também gostei muito dos botões, tudo em bege e produção com sapatos marrons, a calça é muito justa, mas é detalhe que pode ser arrumado de acordo com o gosto de cada um. Também gostei do número 07, me lembra um filme antigo que tinha um maquinista num trem... Só que aqui numa versão bem mais sofisticada. Apesar de parecer bem extravagante toda a mistura de cores no número 08, elas combinam entre si... Você precisa se acostumar com o conjunto para poder gostar e até adotar a idéia. Muito raramente haverá ocasião na vida quotidiana para uma produção assim entre com tom de total aceitação, mas vale como criatividade, idéia para quem gosta. A produção número 09 eu gostei bastante, mas a calça não muito, porque seguia a linha do número 08, então resolvi destacar a parte de cima com toda a largura nos braços e sobreposição de peças, as cores também me agradam.