quarta-feira, 2 de julho de 2008

Alta Costura – John Galliano e um Viva a Repetição | Christian Dior outono-inverno 2009

Eu estava tão animado esperando a semana de alta costura... Então, vem Dior couture, por John Galliano, com uma sucessão de modelos em cores pastéis, alguns em trapézio, muito batidos há anos e anos... E anos... Uma velha repetição de tudo vinda de um estilista que sempre tentou vender essa coisa toda da novidade, revolução e coisa e tal... Então, infelizmente, essa moda do Galliano não tem uma identidade própria. São as exigências do mercado, certamente. A (alta) moda está cada vez mais decepcionante. Mas, como sempre, acho importante ter otimismo... Talvez a intenção artística seja mostrar como a moda era bela há anos atrás, coisa que ele fez muito bem na coleção outono-inverno 2004, dessa vez houve tentativa de misturar: transparência (como é moda a exibição física) e muitos plissados com ar dos anos 60. A base é boa, porque quando penso em elegância, vem logo na minha cabeça o jet set dos anos 60 e 70. Muitos nomes da alta costura da época, e que mais tarde reviveram os anos 60, como Mme. Grès e Yves Saint Laurent, por exemplo, faziam roupas que eram verdadeiras obras de arte. Só que o Galliano acabou mostrando mesmo uma moda repetitiva e insossa para essa alta costura... Resultado de uma re-estilização simplificada de modelos já apresentados por outros costureiros – até em coleções mais recentes, como na temporada anterior que Karl Lagerfeld fez para Chanel e alguns longos mais parecem criações de Oscar De La Renta. Todos os vestidos curtos são absolutamente previsíveis em moda. Os longos sim estavam lindos, perfeitos para a volta das festas de debutantes, todos os plissados possíveis para um conto de fadas. Os modelos curtos mais bonitos da coleção parecem feitos para ‘a mulher do Willy Wonka’, se ele tivesse uma; e os longos parecem feitos para Rapunzel, 'A Bela Adormecida' e Cinderela e suas respectivas "bruxas" - Por falar nisso, até hoje acho o máximo a primeira cena de Maleficent em "A Bela Adormecida", quando ela chega ao castelo com todos os trovões, o corvo e aquele anel no indicador direito. Claro que o que ela foi fazer lá não foi nada bonito...risos. Parando a digressão e voltando ao assunto que interessa...Sandálias altas com tiras e fivelas, algumas com laços. É uma tentativa de moda clássica que desandou um pouco aqui e ali... Se os vestidos curtos fossem apresentados na semana de prêt-à-porter, aí tudo bem... A alta costura é, antes de tudo, uma obra de arte atemporal que vai vestir a mesma mulher em diferentes épocas, isso explica, por exemplo, o estilo vintage, em geral vestidos feitos por grandes costureiros e que se mantém atuais (sempre serão atuais), porque alta costura não cai nunca, é arte... Hoje em dia a alta costura é puramente uma estratégia de marketing, que serve para deslumbrar a mulher que nunca usou alta costura, mas que vai comprar perfumes, acessórios da marca, unicamente pela assinatura dos produtos. Como nem tudo está perdido, eu gostei do vestido com estampa de leopardo, dos longos claros e os outros modelos mais bonitos eu selecionei para mostrar aqui... Não adianta dizer mais nada.

Nenhum comentário: