domingo, 27 de julho de 2008

Personagem - Convivência Fashion à Marc St. James | Ugly Betty

Com toques de ironia, chiquismo e 'erudição' em moda, o ator Michael Urie constrói, na série Ugly Betty, Marc St. James, uma pessoa quase-fashion-victim: sempre arrumado, oportunista, sofisticado e artificialmente divertido... Magérrimo, com olhos claros e cabelos naturalmente cacheados, o jovem Marc é assistente pessoal da Wilhelmina Slater (Vanessa Williams) e, mantendo-se em seu ponto de submissão e paparicos, cria uma trama hilariante envolvendo toda a atmosfera de falsidades e egocentrismos de um grupo interessado em moda... Pior que isso: de um grupo que trabalha com moda! O personagem tem uma vantagem, além do figurino muito interessante e bem combinado: ele não tem o ‘defeito’ de ser eclético em moda e por isso não tem como ser completamente fashion-victim. Ao tratar do tema da convivência, Marc não poupa esforços de usar olhares, comentários e gestos pilheristas e divertidos, revelando exatamente como a coisa funciona. Hoje em dia muita gente fala sobre moda, mas pouca gente tem uma experiência de vivência nesse negócio todo... Vem alguém e comenta uma coisa e outra, se mostra com falsa imagem 'desenrolada e moderna', contra objetos de luxo, quando jamais possuiu nada disso para poder ter a sensação da qualidade e esquecer a horrível e desprezível idéia de que luxo é ostentação. Então a gente dá risada quando vem alguém e diz: “eu tenho ene bolsas”, “eu tenho ene sapatos” e depois percebe que tem uma e outra pessoa que viu como você escreve e fala e está imitando – é um poço de deslumbramento, porque você faz naturalmente e o deslumbrado se esforça para tentar e acaba pagando mico... Até vale quando se quer confundir alguém, mas levar a sério é complicado. Marc revela uma figura em ascensão – ele está saindo da total base de teorias, para ligar o que sabe à prática. Mas, tem algo no personagem que é realmente chique: ele é asmático. Ter asma é muito, muito chique. E se você pensa que o mundo da moda contemporânea é só glamour, vai se surpreender. Mas, o melhor é que na ficção ou na realidade, a convivência em grupos de moda nos faz rir muito mesmo.

Nenhum comentário: