domingo, 31 de agosto de 2008

Entrevista – MARIA STELLA SPLENDORE, a Mulher Que Encantou Dener Pamplona de Abreu | Memórias, planos e uma vida de exclusividades.

Elegante, simpática e carismática ao atender meu pedido para essa entrevista, Maria Stella Splendore, a mulher que conquistou o coração do maior nome da criação de moda do Brasil, revela seu infinito carinho por Dener Pamplona de Abreu, fala sobre moda, amigos e sobre seu livro. A jovem Maria Stella era uma linda adolescente quando encantou Dener e os dois subiram ao altar num casamento tão badalado que seria impossível descrever. Ricos e bonitos, eles formavam um casal muito publicado; entre amigos famosos, sempre receberam os mais importantes nomes da sociedade, moda, política, do alto mundo corporativo. Maria Stella circulava em sua limusine pela romântica São Paulo da década de 60; sempre nas festas mais exclusivas do país, em sofisticados salões particulares de famílias como Matarazzo, por exemplo. Mas, isso é o de menos... Com o tempo, Maria Stella ganhou mais e mais capas de revistas, passou a ser mais seguida e mais copiada. Elogiada por Pierre Cardin, Valentino e tantos outros nomes da moda... Retratada por Di Cavalcanti – um luxo que para Maria Stella, amiga do pintor, era questão de way of life. Recentemente publicou um livro autobiográfico, "Sri Splendore", e tem planos para um outro. Mantém o mesmo físico de manequim; dia desses foi vista no lançamento de um livro sobre Dubai, publicado pelo jornalista e amigo Amaury Jr. E, por onde ela circula, as pessoas da moda lembram e comentam encantadas: “Olha lá! É a Maria Stella Splendore do Dener”.
.

JAMILL – Seu casamento com Dener Pamplona de Abreu foi um grande acontecimento e seu vestido estava muito correto. Hoje em dia as mulheres casam com vestidos muito decotados; qual sua opinião sobre isso?

MARIA STELLA – Penso que as noivas deveriam sempre se apresentar de uma maneira casta. Mesmo em outras tradições religiosas quando o branco (símbolo da pureza) não é tradicional para as noivas, como no caso das noivas Hare Krishna que seguem a tradição vaishnava, onde a noiva se veste de vermelho - cor que representa a fertilidade, sempre se mantém uma imagem casta.

JAMILL – A senhora ainda era adolescente quando se casou. O Dener teve influência sobre seu estilo?

MARIA STELLA – Costumo dizer que Dener acabou de me criar. Quando o conheci tinha apenas 16 anos, por isso, com certeza, ele teve alguma influência sobre meu estilo.

JAMILL – Qual o principal 'ensinamento', no geral, que a senhora teve com o Dener?

MARIA STELLA – Dener realmente me amava, acho que entre todos os maridos e namorados que tive, ele foi o que mais me amou. Na época que fui casada com ele, não pude dar a devida importância a isso, não só pela minha imaturidade, mas também pelo quanto era cortejada pelos homens. Hoje reconheço que o maior ensinamento que tive com Dener, foi o quanto é importante a uma mulher ter um esposo que a ame incondicionalmente.

JAMILL – Havia um vestido em especial ou acessório que o Dener gostava quando a senhora usava – que ele achava que ficava mais bonita?

MARIA STELLA – Sim. Dener sempre queria que eu usasse cabelo preso. Jamais admitia que eu usasse cabelo solto.

JAMILL – Sabemos que a senhora tem muitos amigos famosos... Descreva, por favor, a recepção organizada para o bilionário Gunther Sachs (foto), em sua mansão no Pacaembu, quando ainda era casada com o Dener.

MARIA STELLA – Foi uma grande recepção!!! A pedido de nossa querida amiga Lúcia Matarazzo, recebemos um grande grupo de convidados... Foi uma noite inesquecível!!!

JAMILL – A senhora deixou de lado toda uma vida de fama para se dedicar a uma rotina tranqüila e à sua religião... Quais são as coisas mais importantes na sua vida?

MARIA STELLA – Ser uma pessoa melhor... Ajudar as pessoas a entenderem a importância da vida humana, nosso relacionamento eterno com Deus, que tem inumeráveis Nomes como: Ala , Geova, Oxalá, Visnu, Krishna, etc. Pai do senhor Jesus Cristo. Sou missionária há 27 anos, do movimento para a consciência de Krishna, que foi trazido do oriente em 1965 pelo Swami A. C. Bhakti Vedanta Swami Prabhupada, fundador do movimento para a consciência de Krishna no ocidente. Viajei por muitos países e morei muitos anos fora do Brasil: Índia, Hawai, U.S.A, Europa. Livros como : Bhagavat -Gita como Ele é. Srimad Bhagavatam e outros, que falam sobre a Bhakti – yoga (a yoga do amor espontâneo): nos ensinam a ciência da auto realização, como desenvolver amor puro por Deus; tenho distribuído em 27 diferentes idiomas. O conhecimento é como a água... Se para, apodrece. Por isso temos que passar esse conhecimento transcendental sobre a alma dentro do corpo e nosso relacionamento eterno com Deus. Essa é a coisa mais importante na minha vida: passar ao máximo de pessoas conhecimento espiritual, ensinando as pessoas o cantar do Maha mantra Hare Krishna que é a meditação mais elevada dessa Era: Hare Krishna -Hare Krishna-Krishna-Krishna Hare Hare-Hare Rama-Hare Rama -Rama Rama-Hare Hare.

JAMILL – Revistas lhe publicavam coberta por lindos vestidos e jóias. Como é hoje a sua vaidade?

MARIA STELLA – Tudo pode ser usado em serviço a Deus. Um microfone, um computador, um bom carro, uma roupa fina, etc. O importante é: não sermos apegados às coisas materiais, mas podemos usar tudo em consciência de serviço. A verdadeira renúncia é saber usar as coisas que nos foram dadas por Deus em Seu serviço.

JAMILL – Quem é, na sua opinião, a mulher mais elegante do Brasil?

MARIA STELLA – Não sei te dizer.

JAMILL – O Dener gostava muito da Maria Augusta Dias Teixeira, que contribuiu tanto para a moda comercial no Brasil. Vocês duas eram muito amigas?

MARIA STELLA – Sim, Guta e eu fomos muito próximas uma época. Dener a considerava sua segunda mãe.

JAMILL – Fale um pouco da ‘construção’ de seu livro, Sri Splendore, e da sua mensagem de vida nesse trabalho.

MARIA STELLA – Sri Splendore era um projeto muito antigo. Mentalmente passou por diferentes fases. Eu sabia que um dia iria escrever sobre minha história de vida, mesmo antes de ser Hare Krishna. Quando em 1984 meu mestre espiritual Hridayanada Goswami me disse que eu deveria escrever, tive então certeza de que no momento certo eu o faria. E em 2005 senti que era o momento. Demorei três meses do começo ao fim. Sri Splendore tem como objetivo levar às pessoas a mensagem de que nada na vida, alem do conhecimento de nós mesmos, como almas, como consciência pura que somos, é relevante para nossa real felicidade.

JAMILL – Qual sua opinião sobre a valorização do nome 'Dener' na história da moda brasileira?

MARIA STELLA – Com certeza Dener deve ser sempre relembrado com o valor que teve e tem para a moda brasileira.

JAMILL – Muitas pessoas se perguntam se é um de seus projetos fazer um livro contando como eram os acontecimentos sociais e processos criativos da moda do Dener. Existe esse projeto?

MARIA STELLA – Eu tenho sim, já começado, um projeto de um segundo livro.

JAMILL - Seu livro, Sri Splendore, apresenta seu retrato feito por Di Cavalcanti. Por favor, fale um pouco sobre esse bonito retrato.

MARIA STELLA – Posar para Di Cavalcante foi realmente um grande privilégio, especialmente por ter convivido com a pessoa maravilhosa e experiente que ele era. Ele foi um grande amigo e conselheiro.

JAMILL – Além de sua filha, qual é a maior lembrança que o Dener lhe deixou e que permanece?

MARIA STELLA – Dener foi o primeiro homem da minha vida. Essa é a maior lembrança para uma mulher!

JAMILL - Maria Stella, muito obrigado pela entrevista.

MARIA STELLA – Obrigada. Hare Krishna!

Fotografias: Maria Stella Splendore diante do retrato de Dener Pamplona de Abreu (acervo pessoal); foto pequena da Maria Stella; O casal recebendo Gunther Sachs no Pacaembu (Ovadia Saadia - arquivo pessoal).

Um comentário:

Anônimo disse...

acabei de ler o livro de Dener _ O luxo. Me apaixonei por esse homem! e dá para ver mesmo o quanto ele amava essa mulher pela narrativa dele no livro. Homem raríssimo em tudo, jamais surgirá outro!