terça-feira, 28 de outubro de 2008

Moda Masculina - VIVIENNE WESTWOOD da Regata ao Blazer

Gostei muito da oferta de moda primavera-verão da Vivienne Westwood. Tanto que, pessoalmente, acabei adotando algumas peças e idéias da inglesa. Essa produção com regata estampada de estrelas azuis e luas alaranjadas com blazer marinho (1), eu sempre fiz de maneira bem corajosa, pois são peças bem distintas, só que isso alonga o pescoço mesmo. Só não concordo com os sapatos caramelo e acho mesmo que homem nenhum deveria usar sapatos caramelo. Gostei da calça larga, volumosa, com malha (2), tudo muito prático para você fazer um passeio normal com namorada, por exemplo. Outra opção que adotei foi o look composto por peças em cores pastéis aliadas às listras bem chamativas na gola e nas mangas (3), mesmo que seja sobreposição de peças, ideal para dar um diferencial sem bater de frente com a masculinidade, então fica muito bem quando tiver de jantar informalmente com sua namorada ou visitar a casa dela. Para misturar às novas peças de Vivienne Westwood, resgatei todas as minhas calças brancas do armário para poder ousar no branco-e-preto numa atitude inédita no meu estilo - eu sempre fui contra usar peças brancas misturadas com peças pretas, mas, por enquanto, mudei de idéia e está tudo muito bem. Tudo com estampa quadriculada, detalhes vermelhos, laranjas e amarelos em fundos azuis, vinho e verde bem escurão. Muitas listrinhas e listrões que são bem dosados em detalhes mínimos e as calças risca-de-giz também entram, porque têm a mesma atmosfera da proposta. Mesmo se o homem faz um estilo desleixado (4), acaba ficando muito bem com peças de boa qualidade e comprimentos perfeitos ao corpo de cada um. Apesar dos volumes em algumas calças, as peças de cima são sempre mais ajustadas, sobretudo as malhas, tudo com detalhes que valorizam o corpo do homem, como as golas em V que esticam o pescoço e as mangas com cores ou volumes, mais ou menos evidentes, que passam efeito visual de um braço mais largo. Mesmo no minimalismo do curto e da regata (5), apresentando pernas e braços, que geralmente eu não aprovaria, acaba ficando muito bem no look de quem tem tatuagens no corpo, ou mesmo os músculos muito bem trabalhados, pois valoriza o visual de quem quer mesmo axibir sua beleza física aliada às peças.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Moda – Produção Primavera-Verão 2008-09 por JAMILL | Óculos Escuros, Jóias e Vestidos em Cenário de Praia

Não é difícil a mulher manter o ar chique em cenário de praia. Algumas querem um estilo diferenciado para as idas aos clubes do Guarujá ou final de semana numa ilha particular em Angra dos Reis, por exemplo. Selecionei cuidadosamente cada peça apresentada aqui para formar esse look primavera-verão à moda Jamill, como se eu estivesse produzindo uma capa de revista. Sempre gostei de cor e gosto de acessórios coloridos nas mulheres. Os óculos estilo art-decó da Miu-Miu, usados por Kirsten Dunst para a campanha primavera-verão 2008 da marca, são bem bonitos e certamente inspirarão muito a produção do verão brasileiro que está chegando. Então, minha dica para a mulher moderna é o uso de óculos com lentes degradês rosadas ou marrons em finas armações metalizadas com detalhe vazado colorido – bem nesse estilo Miu-Miu. Biquínis e maiôs de Lenny Niemeyer e La Perla. E, para completar a produção, jóias pequenas em formas de conchas e seres marinhos que vão da praia e piscina até numa saída para jantar com uma discreta beleza. Entre a praia e a piscina, para o dia-a-dia na casa de praia, vestido com transparência e certo ar victoriano by Alexandre Herchcovitch para um almoço na piscina ou o chiquismo futurista com tons metalizados (lembrando água), de Balenciaga by Nicolas Ghesquière, para entrar numa pista de dança à noite – Só o vestido, sem a sobreposição de peças da imagem, por favor... Na dúvida, opte por tecidos com estampas florais ou lisos em tons salmón ou qualquer cor pastel - Quaisquer das opções entram pela manhã e à noite com o mesmo belo efeito e servem de moldura para acessórios tão bonitos no cenário de praia.



terça-feira, 21 de outubro de 2008

As Conquistas e os Luxos de Filipe da Macedônia e Alexandre, O Grande

De tudo que já li e aprendi sobre o Mundo Antigo, o que mais me impressiona é a história do refinadíssimo e egocêntrico Filipe da Macedônia, pai do não menos vaidoso e destemido Alexandre Magno - mais conhecido como "Alexandre, O Grande". Sempre recebi e-mails pedindo minha opinião sobre essa Era de total poder político e muitos luxos e exclusividades. Mas, não pense que o começo foi fácil para ele, não... Filipe conseguiu abastecer seu temperamento de comando e suas técnicas de guerra depois do período que passou preso em Tebas, onde aprendeu as táticas militares e muita coisa sobre a organização do que viria a ser seu poderoso exército. Tornou-se rei da Macedônia aos 23 anos. Demóstenes não conseguiu combater a entrada e o domínio de Filipe sobre a Grécia Antiga, na batalha de Queronéia. Depois, prestes a invadir a Pérsia, Filipe foi assassinado no casamento de sua filha... Na época havia rumores de que o mandante seria o próprio filho, mas depois houve revelação do verdadeiro culpado: Dario, o rei da Pérsia. Aos 20 anos, Alexandre tornou-se o rei da Macedônia, mas desde os 16 já era representante de Filipe e já era amado pelo povo. Desde garoto foi preparado pelo pai para apresentar-se e, sobretudo, sentir-se como descendente direto de Zeus em seu tempo. Chegava a imaginar que seu sangue era diferenciado em composição e cor – uma de suas maiores tristezas foi quando ferido numa das batalhas, percebeu que sangrava exatamente igual aos outros. Amado e endeusado em todas as Cidades-Estados da Era de Filipe e depois na sua própria, quando conquistando outras nações em curto tempo, comandou um dos maiores impérios do mundo. Uma das passagens mais bonitas e de maior expressão de poder político de Alexandre – que eu li dezenas de vezes em vários livros distintos – foi quando ele chegou ao Egito, amado pelo povo que estava livre do Império Persa, recebeu dos sacerdotes egípcios o título de faraó. Uau! Minha gente, diante de tantas conquistas de um jovem numa época de total limitação de tudo, eu realmente imagino que hoje nós estamos em câmera lenta pra tudo. Bom... Mas Alexandre não era só um jovem homem de batalhas e domínios geográficos, nada disso... Sempre preocupado em documentar tudo por onde passava, Alexandre tinha em seu grupo uma quantidade de pesquisadores que iam registrando todas as características climáticas das regiões, flora e fauna. Tudo era arquivado de maneira extremamente organizada. Para afixar um símbolo de seu poder no Egito ele fundou Alexandria, que foi importante base cultural com gigantesca biblioteca com material existente até hoje em criteriosa restauração. Depois, na Babilônia, Alexandre atingiu o topo do luxo que podia se permitir em seu tempo e exigia de seus súditos que se ajoelhassem e beijassem sua mão sempre que estivessem diante dele. Casou-se com 3 princesas persas e teve um filho legítimo de seu casamento e outro com uma de suas concubinas. No meio disso, tinha uma paixão feroz por um grande amigo. Acabou-se aos 33 anos, vítima de febre, deixando uma história fantástica para a posteridade. Infelizmente, restou pouco dos palácios de Filipe e Alexandre na Macedônia. Filipe tinha um nababesco gosto pelos adornos de ouro e por sua própria imagem. Extremamente vaidoso, usava pequenas presilhas de ouro nos cabelos; possuía gigantes painéis de mosaicos retratando caçadas e batalhas... Seu filho, Alexandre, teve seu caminho pré-estabelecido pelo pai. O rosto de Alexandre, conhecido através de suas estátuas pelo mundo, fora encontrado numa reprodução pequena, a primeira delas, numa cena de caça esculturalmente retratada, quando arqueólogos descobriram o imponente túmulo de Filipe da Macedônia, em 1978, com seu sarcófago inteiro feito de ouro. Essa imagem do rosto de seu filho acabou sendo reproduzida por todas as nações dominadas por Alexandre, expressando a extensão da ambição de seu pai, que o preparou para isso. Egocêntricos e poderosos, notados pela figura mítica através dos painéis que revelavam um Alexandre firme, forte, destemido, sem capacete nas batalhas enquanto o rei e soldados inimigos – e que seriam derrotados – com armaduras apresentando rostos com semblantes de medo e covardia [ver ilustração], tornaram-se ainda mais fortes e amados. Era óbvio que o povo amaria o destemido e não o covarde. Alexandre vivia numa rotina de extrema exuberância de si próprio, um tipo de marketing pessoal que alimentava sua sensação de superioridade. A imagem desse grande homem permanece com uma força extraordinária, inspirando outros grandes homens pelo mundo. A principal lição de Alexandre, O Grande para nosso mundo moderno seria a de que é preciso ter metas firmes desde cedo, seguir esse caminho para que no futuro não haja a sensação do arrependimento tardio – com relação a tudo. Caminhar pela vida sem deixar uma boa mensagem, por melhor ou pior que tenha sido o trajecto, seria o mesmo que reduzir toda uma chance de existência, com infinitas possibilidades, a escombros.

Ilustrações: Filipi da Macedônia (esq.) e Alexandre, O Grande (dir.); painel de mosaicos apresentando cena de batalha do destemido Alexandre.

sábado, 18 de outubro de 2008

Alta Costura - Luxo Sobre-Humano by John Galliano

Você deve saber que, em minha opinião, o mais espetacular desfile de alta costura já feito por John Galliano foi a coleção outono-inverno 2004/2005 para Dior. O impacto dos vestidos causava até falta de ar. Quando a supermodel Michelle Alves entrou na passarela [ver vídeo abaixo] usando esse gigantesco vestido, eu pensei: 'mas que maravilha de abafar!' Lembrando a época mais chique da alta costura, quando as modelos interagiam com as roupas, Michelle gesticulou e fez muito charme, tudo perfeitíssimo, enquanto apresentava essa fabulosa peça de formas sobre-humanas que lhe esticou o corpo de maneira absolutamente magistral. O recurso no decote, com base em tom de pele, alonga a silhueta e o tórax. Lembra os faraós do Egito, que usavam luvas e maquiagens que valorizavam suas aparições públicas evidenciando ainda mais seus gestos e formas físicas à distância, impressionando seu povo e fortalecendo a percepção de que eram divindades, com formas físicas e expressões diferenciadas. Então, esse vestido também faz da mulher uma verdadeira beldade. Uma escultura viva! Toda a extravagância nas jóias, o cabelo arrumado de lado... Muito, muito, muito chique!
video

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Click - CARMEN MAYRINK VEIGA & Moda Praia

O Click de hoje é da linda e elegante Carmen Mayrink Veiga em moda praia, o ano é 1973, em Las Hadas. Sempre charmosa e bonita, quando adolescente e usando chiques biquinis Dior, Carmen frequentava exclusivo clube no Guarujá; os rapazes presentes, suspirando de paixão, imploravam: "olha pra mim, Carmen". Ontem, quem leu o jornal O DIA encantou-se com suas fotos, uma das mulheres mais elegantes do mundo, que vieram emoldurando a notícia de que uma grande grife de moda praia vai apresentar coleção inteira inspirada na Carmen Mayrink Veiga – em novembro, no Rio, num desfile no Copacabana Palace. Tudo bem sofisticado, para as mulheres mais elegantes e ricas usarem na ida à piscina, à praia. Afinal, toda brasileira elegante e de bom gosto sempre sonhou ter pelo menos 'um dia de Carmen'.

domingo, 12 de outubro de 2008

Diário - Um Pouco de MARISA BERENSON, Catuaba e Guaraná...

Olá, bom dia... Hoje é domingo, "pé de cachimbo, o cachimbo é de ouro, bate no touro, o touro é valente, bate na gente..."! [risos] Nem sei como isso passou pela minha cabeça... Vai ver é o ritmo da Marisa Berenson - explico no final da postagem... [risos]... Tenho estado meio afastado do blog, pois estive meio adoentado - nada demais... Logo já estou ficando bom. Uma pessoa que eu amo de coração também esteve adoentada esses dias, mas graças a Deus já está bem também. Apesar disso, estou bem inspirado para as artes e quase não parei de desenhar - mais e mais blocos de papel, por favor!! Eu queria poder sair para dançar hoje, de preferência acompanhado... Mas... Mas... Vontade dá e passa. Eu sou um homem muito disciplinado. No mais, tenho um livro para terminar de ler e desenhos para terminar de fazer... Surgiu convite para expor; e então, aceito ou não aceito? Talvez sim, talvez não... Ainda não sei... Bom, mudando de assunto e falando um pouco de moda, me senti bem desanimado para escrever sobre a semana de moda de Paris - nem acompanhei muita coisa. É tudo muito igual e as pessoas, na maioria, estão preferindo recusar ver as novas coleções de roupas e aceitando uma visita ao cirurgião plástico - cuidado minha gente, espero que vocês escolham ao menos um profissional com ótimo currículo e longo histórico de sucesso. Cada um sabe de si. Bom, essa semana eu estava vasculhando umas revistas antigas e me deparei com uma capa da Marisa Berenson numa Manchete de 1980, ela que sempre fez fotos lindas e matérias para a televisão, enfim, eu achei divertido ler a declaração dela sobre manter sua beleza à base de muita catuaba e guaraná... [risos]... Será mesmo?! Bom, ela continua sempre bonita e, no mais, não custa nada o pessoal que vive buscando a beleza tentar passar no bar ao invés de recorrer às plásticas... [risos].