sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Alta Costura – O Melhor da Alta Costura, Hoje, é CHRISTIAN LACROIX! | Primavera-verão 2009

A receita de Christian Lacroix é a mesma e, felizmente, funciona seguir um único estilo que tanto agrada a ele mesmo quanto às clientes de sua alta costura. Eu gosto muito das cores que ele usa, são verdadeiras expressões, como tem ser toda base de obra de arte. Muito barroco, rococó... Crepes e sedas... Luxo! Pura obra de arte que, num passeio pela história, revela uma intenção estética do século XVIII num ar da Belle Époque, aliados às exigências de detalhes modernos na moda atual, como, por exemplo, a (discreta) assimetria nas peças e a armação de estruturas sobrepostas como as jaquetas. Tudo isso com muita feminilidade, delicadeza e charme! As criações são muito bonitas, no mesmo caminho da anterior, de inverno, só que com mais leveza nos tecidos e acessórios. A noiva corretíssima... Muito, muito, muito chique! A assinatura de Lacroix é o que há de mais bonito e luxuoso, hoje em dia, em matéria de alta moda, de luxo. E uma mulher muito amada merece que o marido lhe cubra de presentes, inclusive essa coleção inteira, porque as mulheres mais especiais do mundo nasceram para todos os paparicos, com o melhor do melhor.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Alta Costura - KARL LAGERFELD: Uma Chanel Romântica, Mínima e Futurista Onde o Cafona Vira Luxo | Primavera-verão 2009

Com intenção romântica e, em alguns detalhes, futurista, Karl Lagerfeld apresentou uma alta costura que inspira as possibilidades que vêm do branco, das linhas retas, da re-estilização de peças extremamente clássicas que ganharam um ar jovem e dinâmico através de uma sobreposição de tecidos causando um visual em terceira dimensão. Organza e tecidos 'plastificados', unem o clássico da base com a intenção futurista e, ao mesmo tempo, simplificada. Muitos podem encarar a coleção como uma representação do minimalismo que deve haver em momentos de crise econômica mundial; porém, quem pensa assim esquece que a mulher que consome e usa alta costura desconhece esse tema global na prática. Talvez a leveza das aplicações de plumas e transparências – essa, repetida de duas coleções atrás, em alguns saiotes – represente essa despreocupação com tudo. Mas, nem tudo é branco, há vários pretos... Não que o preto represente o inverso. A novidade fica, unicamente, na mistura e aplicação de tecidos com apresentação diferenciada do habitual. Favorecendo a sensação do luxo que só a alta costura tem, aliada ao frescor da simplicidade extrema em formas, cores e efeitos de combinações. De tudo o que mais gostei foi do equilíbrio dos ombros, absolutamente chique. O que menos gostei foi das calças com vestidos por cima, até na noiva [imagem principal], dando um ar muito feio, cafona até, e isso é imperdoável no que se refere ao bom gosto e à beleza na alta moda.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Alta Costura - JOHN GALLIANO Curva-se Diante do Estilo Dior | Primavera-verão 2009

Bonita a coleção apresentada por John Galliano na alta costura Dior em Paris... Mas, nem parecem peças assinadas por ele. Está mais claro que Galliano teve de mudar muito para atender às exigências do dono da casa e das clientes Dior... Saiu sua inspiração do exagero e do teatro – deslumbrando o consumidor comum que não compra alta costura, mas que ostenta a grife num vidro de perfume ou numa bolsa – e entrou a linha clássica da casa com uma mistura pelo mundo das artes, visando atender aos gostos comerciais de um chique grupo de jet-setters que, fugindo de uma dúzia de celebridades exibicionistas que são clientes da Dior, querem roupas-arte de valor clássico atemporal e com uma linha constante de estilo. Deve estar sendo terrível para Galliano render-se às ordens de um estilo. Que puxada de orelha! Para não perder o ritmo, Galliano buscou o clássico deixado pelo próprio Christian Dior nos anos 50, com ar romântico e equilíbrio no quadril, suavemente misturado às artes belgas do século XVII, tentando apresentar uma nova proposta do que já se conhece. Isso sim agrada a mulher rica, culta e exigente que aprendeu com sua mãe e avó a admirar o estilo da casa.

A alta costura Dior de hoje é muito chique sim, mas não é autêntica se comparara ao estilo de Galliano, tem algo de artificial – de que a barra foi muito forçada para ele. A identidade Dior voltou à maison, mas a identidade Galliano saiu de cena.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Moda - Partiu a Elegante e Reservada LUCIA MOREIRA SALLES

A elegante Lucia Moreira Salles, viúva do mega-banqueiro Walter Moreira Salles, do Unibanco, não resistiu ao câncer e partiu na madrugada de domingo. Ela que foi das primeiras modelos brasileiras de sucesso, conhecida na época como Lucia Curia, tornou-se amiga de grandes nomes da criação de moda e ficou íntima de Gabrielle Chanel – foi também modelo exclusiva da casa Chanel. Era comum ver suas fotos nos grandes desfiles da alta costura francesa, em geral ao lado dos costureiros, como seu grande amigo Valentino. Lucia estava hospitalizada em São Paulo usando nome fictício para evitar alarde sobre seu caso de saúde na imprensa. Sempre estranhei que um nome tão importante na moda, sempre em importantes desfiles, com tamanho conhecimento em alta moda e também pelo lado poderoso do sobrenome no meio socio-econômico saísse tão pouco e tivesse mergulhado numa total discrição, assumindo uma personalidade reservadíssima, mesmo em suas constantes idas para Nova York, quando não estava no Rio. O corpo da elegante Lucia foi levado pelo irmão para Porto Alegre, conforme ela pediu que fosse feito. A lembrança que fica de Lucia é de uma mulher refinada e elegante. Como se nota facilmente na foto, ao lado do marido, usando um impecável branco assinado por Valentino, ela faz jus à memória.
.
Fotografias: Walter e Lucia Moreira Salles em recepção no Rio de Janeiro, 1999 [Arquivo Pessoal]; Lucia, ainda solteira, posando como modelo nos anos 60 [Arquivo Pessoal].

sábado, 17 de janeiro de 2009

Alta Costura e Vídeo - O Luxo do Egito by JOHN GALLIANO na Alta Costura Dior e CARMEN MAYRINK VEIGA


video

Antes de tudo, é preciso dizer que a mágica e a arte que englobam a alta costura me chamam mais atenção do que apenas a roupa... Eu não sei você, mas a minha sensação quando vejo um desfile da alta costura, seja como for, é de que estou numa galeria de arte, vendo obras de arte. Antes da queda dessa moda tão inacessível e exclusiva, havia mais chance dessa sensação toda, é claro... Porém, os desfiles de 2004 feitos por John Galliano para Dior, foram de um luxo, charme e romantismo capazes de reviver a época mais bonita da alta moda no mundo. Fiquei absolutamente apaixonado pela forma como as modelos, com máscaras de Anúbis, envergando ouro e azul, e ainda de pássaro com enorme gola também sobre dourado posaram na passarela – isso você confere no vídeo. Foi verdadeiramente muito, muito chique. As modelos se entortavam na passarela com as mãos apoiadas na base das costas. A primeira, extremamente feminina, carregando uma bolsa no pulso, com a mão apoiada na cintura. Lindo de se ver! Ultramoderna! E quem não lembra da recente, chiquerésima e tão publicada foto da Carmen Mayrink Veiga usando vestidão da mesma alta costura francesa e posando como as modelos, em seu banheiro inteiro decorado com felinos?! Assista o vídeo e verá. Minha gente, não tem outro jeito de começar um dia tão bem quanto esse: ver pura qualidade, puro luxo, puro charme e o alto glamour! A alta costura quase não apresenta mais nada de impressionante em matéria de arte e são necessários anos de espera até que uma grande coleção apareça na passarela. Mas, esse vídeo das Anúbis e do pássaro, e com a foto da chique Carmen Mayrink Veiga posando igual a elas, nos permite experimentar um deslumbrante choque de beleza, charme e muito luxo!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Moda e Vídeo - Com ou Sem Mesmice, Beleza é Fundamental

video

Bom dia! Recebi vários e-mails reclamando da falta de comentários sobre o Fashion Rio... Pois é, eu realmente me senti pouco inspirado para escrever dessa vez. Sou a favor que artistas desfilem nas semanas de moda, mas é muito estranho ver que pouco se comenta das roupas nas notícias todas, é que acontece algo atrapalhado e, diante da presença de um artista famoso, as roupas passam como coadjuvantes. E os demais modelos? Ninguém nem fala... Acho que a criação de moda brasileira está muito boa mesmo, a maioria vem seguindo a linha do vestuário de mundo... A gente vê reportagens dos desfiles de Nova York e Paris, por exemplo, e as peças são sempre iguais, com produções semelhantes, apenas mudando tecido ou comprimento. Acho mesmo que cada pessoa deve se sentir bem livre para adaptar a moda clássica ao próprio estilo, pois por mais que haja toda uma festa enorme por trás dos eventos de moda, pouca coisa realmente impressiona. É perda de tempo ficar procurando passar alguma exclusividade, alguma emoção. Quem viu ou leu o Karl Lagerfeld dizer que não vem ao Brasil por que o seguro de vida dele não cobre a viagem? Minha gente, isso é uma vergonha. A base forte da moda é mesmo a Europa, não há muita atenção, em se tratando de moda, para o que não vem de lá. Por mais que o Brasil diga que está fazendo uma moda especial, é tudo na linha européia. Isso não é ruim, é bom, porque possibilita uma maior aceitação das clientes de fora, há comparativos e, de certo modo, é um jeito de entrar para a turma. Além da modernidade dos tecidos, não há o que esperar de novidade na moda. Se na alta costura a situação já anda bem complicada, imagina então no prêt-à-porter... Um detalhe positivo na moda brasileira é que mesmo em coleção de verão, pouca grife do Fashion Rio ou da São Paulo Fashion Week vem apresentando o nudismo como base para a roupa. Antes, o negócio mundial era buscar o sexy e até pouco tempo era o nudismo mesmo... Estou notando uma sutil mudança nisso. Talvez as clientes queiram realmente aproveitar os tecidos e os recursos da moda para o embelezamento de seus corpos, ao invés dos riscos das plásticas. Isso é, de certo modo, animador. Então, para comemorar essa sensação de que a beleza voltará à moda, está aí o vídeo do comercial da fragrância Miss Dior Chéri, da Dior, produzido por Sofia Coppola, que é cheio de cores, de charme e nenhum nudismo. Eu adoro esse comercial... Tudo bonito e cheio de simples, porém essenciais, prazeres do cotidiano. Inspire-se.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Moda e Comportamento - JAMILL Estuda Estilo e Comportamento, Masculino e Feminino, em Produção de Moda

Um ensaio publicado pelo W mostra um casal em cenário de verão com produção típica dos devaneios da moda, porém, com mensagens diretas sobre biótipo, estilo e comportamento. A mulher, Linda Evangelista, usa alta costura, abarrotada de acessórios e recursos típicos da indumentária feminina - inclusive o salto alto com grande apelo fetichista aliado à transparência que hoje é considerada banal - avança com todas as suas curvas sobre um homem que... Desde quando homem precisa de acessórios e recursos da moda para ser atraente, sobretudo numa atualidade onde as próprias mulheres andam masculinizadas? Atualmente, tanto os homens quanto as mulheres buscam os mesmos ideais, cometem os mesmos erros, usam os mesmos produtos, trabalham em setores iguais, dividem as tarefas de casa. Está bem evidente que nessa foto, ao contrário de hoje, homens e mulheres têm, respectivamente, seus próprios papéis. Tirando um pouco da fantasia criada pela produção, a mulher revela cena íntima, ao passo que também apresenta astúcia, exibindo partes específicas do corpo, como as pernas; enquanto o busto está coberto por um bolero, sinal de timidez ou insegurança – ou puro charme. Porém, além da atmosfera de sedução, note como ela permanece intocável, como uma volta ao passado, quando a entrega física e sexual ainda tinha muito valor para a maioria, valorizando cada detalhe de sedução, cada expressão de charme. Era tão mais chique, elegante, atraente! O homem expressa força, firmeza, apresenta-se livre de acessórios, somente com máscara de pirata, simbolizando certa valentia, e com luvas que provocam o distanciamento físico, mesmo num aperto de mãos, reforçando uma frieza, desprezo pelo que é meloso ou apaixonante, pois sabe que a garota não será fácil... Nada que é fácil tem valor, nem no homem nem na mulher. Corretamente masculinizado! Exibe naturalidade ao máximo e põe charme no penteado, repartido do lado, com topete. Um cabelo bem bonito mesmo para homem! Vaidade na medida certa. Sobre o corpo... Sempre achei feio e cafona homem musculoso em passarela de moda, em editorial de revista. Mesmo no dia-a-dia... O exagero na malhação está criando um tipo físico que não combina com quase nenhuma roupa formal e vem resumindo o armário desse grupo à regata e calça de malha, ou jeans. Para quem é atleta ou para quem trabalha duro carregando peso sobre o corpo, tudo bem... No mais... Mesmo quem é gordo hoje, pode simplesmente decidir não ser mais e passar por uma tremenda mudança. Tudo isso depende da sua vontade, quer ter menos ou mais peso, enfim, tudo tem jeito e há caminho para qualquer estilo na moda, o importante mesmo é que você deve ter controle sobre você mesmo, sobre o que você quer... Corpo masculino bonito deve ser magro, com definição muscular sim – mas, o mais natural possível, sem exageros – e tem de ter ombros largos e quadril estreito. No máximo, braços e coxas largos pelo futebol ou qualquer outra atividade física... Não deve passar disso. É o tipo físico exato para fazer bonito na hora do formal, na hora da roupa de banho para aproveitar o verão. Também funciona na sedução. Além desse tipo de corpo esbelto, a beleza masculina deve ser mais acentuada pelo penteado, o corte de cabelo. E minha dica é sempre o topete, alto, repartido do lado; ou fios desfiados e com volume. O charme masculino é mais fácil do que o feminino. O homem tem mais espaço para exibição física, tem mais espaço para um comportamento livre; e liberdade é sempre atraente para as mulheres. Além das plásticas, as mulheres possuem uma infinidade de "armas" da moda para a conquista, para a própria expressão e é isso que a foto apresenta. Porém, em matéria de comportamento, é muito importante dizer que os homens erram mais do que as mulheres, então, que elas possam resgatar do passado a parte do charme, do ser difícil, pois isso valoriza muito e aumenta em 100% o interesse masculino. Aumenta a graça. No mais, a moda, nisso tudo, só passa como coadjuvante que está sempre disponível para ajudar em todas as estratégias.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Fashion Rio - Vitalidade Chique em Moda Clássica | Santa Ephigênia - outono/inverno 2009

Belíssima a manga longa bufante à moda do século XIX e essa cintura estreita que passou na passarela da Santa Ephigênia no domingo, dia 11. Essa perfeição da manga longa que desce seguindo a linha natural do braço. Gostei da combinação de cor, que funcionou, apesar de ser tentativa corajosa de afrontar uma produção tão clássica e refinada com uma cor de forte expressão cafona na saia, resultando numa produção totalmente chique. A produção, num todo, estava perfeita com aquele cabelo pra cima e a expressão pálida. Voltando sobre as mangas... Considero chique uma noiva, mãe da noiva ou criança com manga bufante, bem armada e embonecada... Mesmo em tecido moderno, cor moderna. Com uma moda de tamanho bom gosto, a Santa Ephigênia expressa que nem tudo é inédito, mas o lado refinado, bonito e de qualidade nunca perde a energia. Tudo isso é essencial e seduz um tipo de cliente cosmopolita, especial, distante das tendências brutamente comerciais.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Fashion Rio – WALTER RODRIGUES, Romantismo Chique, Atemporal e Educativo na Moda | Outono/inverno 2009

Muito bonito o desfile do Walter Rodrigues nesse domingo, dia 11; eu acho que ele consegue manter um equilíbrio muito importante entre o ontem e o hoje na moda, criando peças e combinações que servem para todas as faixas etárias. É um tipo de moda que não é alienada. Eu gosto muito de conhecer o resultado de um trabalho baseado numa perspectiva geral, mesmo em alta costura, quando a gente sabe que são os vestidos mais caros do mundo, só que eles passam uma expressão de caminho a ser seguido em matéria de criatividade nas combinações, por exemplo, sem valorizar o consumismo, pois a arte supera o compromisso comercial. Só acompanho em moda o que realmente me atrai, não sou fashionista e também não trabalho com isso, mas, tenho muito bom gosto, me visto bem, sei do que gosto em moda e vejo o sucesso de grifes que preenchem minha lista de predileções. O Walter Rodrigues faz uma linha muito chique com recursos essenciais de roupa, como o equilíbrio dos ombros que visualmente vieram alargados com as aplicações de bordados, equilíbrio do quadril que pode evidenciar a magreza tão chique da linha size zero de hoje em dia e o alongamento do corpo com os decotes em V que, às vezes, conseguem ser muito grandes, mas nunca perdem o chiquismo. Muita coisa aliada às suaves texturas sob fundo em cor de pele – é um caminho de glamour semelhante ao da moda do Yves Saint Laurent. Acho isso tão importante e chique! Gosto de qualidade técnica e visual. E esse desfile inverno 2009 vem reforçar a base de sucesso desse grande nome da moda brasileira. Além do mais, a coleção expressa o amor do Walter Rodrigues pela moda, e isso está além de um interesse comercial, como comentei no começo, que é detalhe tão percebido nos eventos de moda da atualidade. Dessa maneira, ele possibilita que a mulher que não tem acesso à sua criação, adote combinações de peças que já estão em seu armário com alguma semelhança visual de brilho, cor. Talvez retirar do armário a blusa lisa com bordados na gola, nos ombros, por exemplo. Isso sim é moda; democrática, que não impõe aquisição, não impõe mudança física, não impõe nada e só facilita, embeleza e valoriza. Há também uma direta informação educativa em matéria de estilo: a combinação das sandálias [que eu teria substituído por sapatos] com as bolsas, um toque de atrevimento moderno com fitas nas sandálias que combinam com batom. Eu sempre gostei da moda do Walter Rodrigues, porque, repito, não é uma moda alienada e sempre apresenta conteúdo romântico e educativo. Ele está de parabéns!


Fotografias: Grazi Massafera, excelente apresentação como todo o time de modelos, usando e apresentando criação de Walter Rodrigues na passarela. As produções em tons clássicos e sempre belos, com bordados, brilhos, transparências e a elegância de sempre.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Jóias - Usar as Criações de ALBERTO SABINO é um Chique Prazer!

Chega de clean. A não ser quando o clean é reinventado em formas que incitem à beleza através de detalhes delicadamente mínimos, combinações e cores frutos de bom gosto, revelando uma assinatura de sucesso que valoriza a percepção de humanidade que só uma obra de arte pode expressar... E, nesse sentido, em matéria de bijoux-luxo o espaço está sob o domínio do talentoso e simpático Alberto Sabino. O apelo estético pela indumentária vem buscando os sentidos e não apenas uma expressão vazia; e Sabino aplica às suas peças um alto grau de seus próprios sentidos, de seu desejo por ver ainda mais belas as já tão festejadas mulheres da alta sociedade com suas bijoux-arte. Mas, não pára numa percepção de acessório, de 'coadjuvante' da roupa... Suas peças têm cores lindas, movimento, uma infinidade de recursos vindos de sua sensibilidade e competência e que enriquecem a memória de pele, refletida por seus projetos que apresentam uma percepção direta de beleza e delicadeza. É o amor pela figura feminina. Algumas das principais bijoux-luxo-arte que os leitores das colunas sociais vêem e verão, como tendência atemporal das chiques e elegantes, estão dentro das coleções assinadas por Alberto Sabino. É a tendência que está muito bem representada por nomes como Beth Lagardère e Carmen Mayrink Veiga, por exemplo. Sabino apresenta criações metálicas, articuladas, barrocas, desmanchando formas clean em resultados visuais de luxo, aliando o verde ao vermelho, ou ao dourado, em brincos de pedras, por exemplo. Uma borbulhante fonte indiana, dourada, com lua, libélula e singela borboleta sossegada na sensibilidade, na humanidade da mulher. Eficaz aproximação entre a beleza do luxo e a beleza da arte é o que se percebe numa de minhas peças prediletas: pulseira de turquesa, ametista e cristais. Não tem braço que não fique bonito com essa pulseira! Não tem expressão que não fique bonita com os brincões de ametista, murano e pérolas! Outras séries de peças surgiram sempre de forma suave, poética e humana. Isso é arte. Isso é bom gosto. Isso é Alberto Sabino.

Fotografias: Alberto Sabino, aplaudido em apresentação de coleção no Copacabana Palace - Rio; Conjunto verde Alberto Sabino para Glorinha Pires Rebello; Monique Alfradique usando colar Alberto Sabino (também no detalhe) e vestido Bianca Marques; Pulseira em turquesa, ametista e cristais; Brincos em ametista, murano e pérola; Colar em pedras Else; Brincos em turquesa e cristais; Brincos pedras em tons verde e dourado; Brincos pedras em tons verde e vermelho.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Arte - CARMEN MAYRINK VEIGA e a Borboleta Gigante

Fiz o retrato "Carmen Mayrink Veiga e a Borboleta Gigante" no dia de Natal e pertence à homenageada... A arte para mim é uma necessidade íntima e me faz muito bem, sobretudo quando expresso o que mais gosto, como é o caso desse desenho. E, talvez por não comercializar meus quadros e desenhos, consigo me expressar de forma mais livre, pessoal. Eu gosto muito de cores e tudo que tem cor me atrai; mas, há vários tipos de cores... Tecnicamente eu tenho consciência de várias direções na arte, mas, sigo apenas meu sentimento mesmo, às vezes faço, de propósito, traços disformes que formam um conjunto de beleza acadêmica quando aliados aos traços uniformes e fiéis. Eu misturo, desde que o resultado me satisfaça. É meu jeito de me expressar. Nem sempre as cores ‘gritantes’ são essenciais para uma expressão de sentimento. O sentimento ‘grita’ quando a arte é feita com amor e, quando isso acontece, mesmo em branco-e-preto pode-se ter a sensação de todas as cores do mundo. Óbvio que a retratada por si só já é de um charme absoluto. É a mulher mais bonita que eu já vi na minha vida!