segunda-feira, 30 de março de 2009

Inesquecível Harmonia: CLODOVIL, Moda e Música

video
Bom dia... Com o ritmo a que fui submetido nesses dias mais recentes, eu estou muito cansado e desanimado, precisando dormir, relaxar... Por isso, tento ler ou ficar de olho na TV, em algum filme, vídeo que eu goste. Então, agora a pouco eu estava revendo uma apresentação do Clodovil Hernandez cantando, em 1974, e divido aqui com você... Eu acho tão bonito o vídeo, a música, o ar de chiquismo e satisfação... Tão diferente do que tentaram construir tantos críticos que eram contra alguma idéia, comportamento e atitude dele. O Clodovil precisa ser entendido como um homem que conheceu o mundo a partir do seu amor pela moda. Mas, antes, tem um complexo histórico familiar, cheio de barreiras geográficas, psicológicas e outras inimagináveis que só ele poderia descrever – se fosse possível - e que ele venceu e que formaram sua personalidade. Mas, eu sempre percebi muita sensibilidade e sinceridade no Clodovil - e essas são virtudes de temperamento. Então, qualquer coisa que ele fazia tinha a moda carimbada e, de algum modo, uma antecipada atitude de defesa, que intimidava enquanto lhe abria espaço para comandar os momentos. No vídeo, ele aparece e canta de maneira muito doce, distante de toda e qualquer idéia negativa que possam ter tido dele e chega a ser emocionante para quem teve contato com ele, para quem o admirava e até para quem fazia parte da turma que não simpatizava com ele. No vídeo, Clodovil circula entre mulheres que apresentam peças assinadas por ele, num jardim cheio de verde e esculturas. Eu acho mesmo muito especial quem consegue deixar algo de bonito no mundo.

domingo, 29 de março de 2009

Opinião - A Trágica Decadência Humana | A Hora do Planeta

Bom dia... Ontem teve "A Hora do Planeta" com participação do Brasil, muita gente aderiu à causa e apagou as luzes da sala... Mas, a maioria nem se importou e deixou tudo ligado. Acho importante ter um tipo de alerta que atraia a atenção das pessoas para o real motivo, fazendo com que cada um compreenda a situação que é muito séria para o mundo, para a humanidade. Particularmente, percebo que o planeta está numa ladeira abaixo por nossa própria culpa e o destino é a extinção humana. Não digo isso do nada, não... Estamos tão envolvidos com nossas vidas artificiais que seria impossível continuar se nós não tivéssemos luz elétrica, produtos industrializados, máquinas e tudo mais que não contribui em nada de positivo para a natureza – pelo contrário. A população mundial está aumentando, assim como os desmatamentos e o calor também... Logo, não haverá espaço para tanta gente e as doenças serão um grande e descontrolado problema. A falta de alimentos e remédios será coisa muito séria e vai gerar terríveis guerras! Grandes metrópoles engolirão tudo que for natureza. Muitos animais, incluindo os que são usados na cadeia alimentar, perderão espaço. Com a redução de tudo, os preços dispararão. As diferenças econômicas ficarão mais evidentes e as revoltas também. Com a falta da natureza, a maior matéria-prima para a pesquisa de remédios, não haverá como manter estudos contra doenças. Os alimentos químicos contribuirão para os problemas de saúde em longo prazo. A alta moda apresentará roupas de luxo inspiradas nos uniformes espaciais, com máscaras trabalhadas em ouro e suas clientes voarão para Paris a bordo de poluidoras mega-máquinas-voadoras-supersônicas. As fashion-victims serão gordas, para ostentação de que em meio ao terror, seriam 'privilegiadas' por comerem muito bem! As crianças verão árvores em seus computadores de bolso e nos museus. Os ricos tomarão cápsulas para impedir a sudorese, terão casas climatizadas, pressurizadas para manter o maior conforto possível e o máximo de distância de algumas doenças, gases tóxicos e do calor excessivo! Tudo isso aliado às ondas magnéticas que carregam os sinais da modernidade e as notícias cada vez em maior velocidade, resultando num turbilhão de informações que invadirão nossos pensamentos, sempre emoldurados por grandes e hipnotizantes campanhas publicitárias. Com a alta tecnologia será possível desenvolver estrutura sobre os estudos de Einstein e viajar no tempo, na tentativa de impedir tantos erros! Será um caos total! Somente com a extinção de uma única espécie, a humana, todas as outras seriam salvas e está bem claro que a natureza nos dará o troco pelo que fizemos! Isso é verdadeiramente assustador!

domingo, 22 de março de 2009

Click - K&K: KIRSTEN McMENAMY e KARL LAGERFELD clicados por MILES ALDRIDGE | Paris

O Click de hoje é da linda Kirsten McMenamy, em 2004, vestida de noiva e acompanhada por Karl Lagerfeld, em Paris, fotografados por Miles Aldridge. Não fosse pela beleza de McMenamy, os degradês óculos escuros, alguns quilos a mais, o leque fechado na mão e a expressão aristocrática de Lagerfeld quase chamam mais atenção que a noiva.
.
Fotografia: Arquivo Pessoal.

terça-feira, 17 de março de 2009

CLODOVIL HERNANDEZ, Um Brilho de Coragem, Polêmica, Talento e Sucesso!

Passei horas diante da televisão esperando boas notícias sobre a saúde de Clodovil Hernandez... Até que a notícia pior foi avisada, de que seu cérebro parou. Clodovil não poderia faltar como exemplo na história de muita gente que aspira chegar a algum tipo de reconhecimento por mérito próprio. Ele não veio de uma época mergulhada em infinitas informações e toda essa pressão que existe por bons resultados e por atividades obrigatoriamente bem-sucedidas, com tanta gente pseudo-intelectual que fala muito sobre o que aprende nos livros, enquanto parece vazia da própria e autêntica humanidade. Clodovil foi – de início – um sucesso na moda sendo autodidata e isso é ser talentoso... Não há professor universitário ou teste que te imprima um dom. Ter um dom é coisa muito séria, é uma riqueza divina. Eu não acredito em fim de nada, porque eu sou católico. Numa percepção cientifica, fiquei fascinado quando, ainda garoto, aprendi numa palestra que muitas das estrelas que estão brilhando no céu "extinguiram-se há milhões de anos"... Mas, é a luz que continua viajando pelo espaço. Como é possível a gente afirmar que as coisas acabam? Não acabam... Nada acaba! É preciso que cada pessoa construa e reflita um caminho repleto de realizações, bons exemplos, de muita beleza focada nos dons que recebeu... É preciso deixar um brilho. O brilho de Clodovil não poderia faltar no cenário de Brasil. Uma fusão de estilista, apresentador, cantor, ator... Alvo, durante muitos anos, da antipatia prematura/precipitada de muita gente; mas, também cheio de amor de muita, muita gente. Optando sempre pelo amor e apoiado por esse lado, ele surpreendeu aos ‘precipitados’ em adotá-lo como antipático, sendo eleito deputado federal em 2006 com uma quantidade impressionante de votos. A cada subida e descida, Clodovil manteve o equilíbrio de sua trajetória de sucesso, reconstruindo possibilidades, expectativas dos telespectadores... Todos torcendo por ele, aplaudindo cada efeito que surgia de sua caixa de surpresas. Clodovil é como um jogo de espelhos que refletem a imagem original numa outra e noutra... E noutras. Uma sucessão de novos talentos, graus de temperamento, ações e reações infindáveis que continuarão.

terça-feira, 10 de março de 2009

Click – LILY MARINHO e Suas Esmeraldas de Abafar | São Paulo

O Click de hoje é a elegante Lily Marinho chegando ao aniversário da Hebe Camargo, dia 08, em São Paulo. Usando preto com transparência, Lily destacou, como sempre, a elegância, o chiquismo, sua natural simplicidade e simpatia, enquanto reluzia as jóias mais caras da noite: conjunto de brincos, colar e anel de esmeraldas, ouro e diamantes, peças avaliadas em cerca de 1,3 milhões de Reais. A produção serve como lição sobre o uso de jóias para quem é novo na área... Não é toda mulher que tem tanto porte para usar uma grande jóia do jeito certo. Como todo prazer tem um preço e a elegância esnoba os custos quando ligados ao prazer pessoal, o valor econômico torna-se insignificante diante da beleza estética das esmeraldas, que não seriam usadas se não fossem as pedras preferidas da Lily.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Moda Masculina – Simetria Essencial no Armário do Homem | O Terno Ideal

Há pouca coisa tão feia e triste quanto se deparar com um homem usando terno que não lhe cai bem. Pior é quando faz pose de que está muito bem! A grife pouco importa, o que conta realmente é o tecido na estação, a costura e o corte bem-feitos - o caimento perfeito ao corpo. Óbvio que encontrando sintonia entre manequim e seu corpo, haverá fidelidade à grife. Na hora de comprar, você deve estar atento ao comprimento do casaco que deve ir até exatamente cobrir o 'traseiro' – nem mais nem menos – e não é todo vendedor que sabe orientar do jeito certo, porque as lojas erram nessa seleção. A manga vai até o pulso e segue a linha do braço sem ser muito justa. Os ombros são muito importantes em qualquer roupa, o alinhamento dos ombros no casaco é essencial para a beleza da produção e valoriza o porte masculino... A linha da costura do ombro deve descer certinho com a dobra do braço, não pode criar dobras caindo sobre a manga. E quando você fizer a prova, deve levantar os braços, colocá-los em várias direções para testar se os ombros ficam 'imóveis' e o tecido não amassa, nem vai subir mudando o caimento. O cano da calça deve ir até exatamente encostar o "peito do pé", nem mais nem menos. Se você é muito alto e se incomoda com altura, escolha a calça com barra italiana. Mas, se quiser aparentar mais altura, prefira calça sem barra italiana. Sapatos e cintos devem combinar sempre; e, de início, homem só deveria usar duas cores de sapatos: preta e/ou marrom. As meias devem ser na cor da calça ou dos sapatos... Tem gente que pede para combinar meia com camisa, mas eu não gosto e tem homem que não combina com isso. Terno claro só deve ser usado até 11 horas da manhã para sair de casa. A qualidade de uma roupa correta deve representar durabilidade. Não há nada de errado em manter um único terno por anos, desde que muito bem conservado: guardado recheado com espuma e forrado com capa, em ambiente limpo. O ideal é ter no armário um terno marinho, que pode ser usado em qualquer horário, para assistir casamentos e até para casar. Há ainda a possibilidade de trocar a calça marinho por uma cinza. E, numa saída muito esporte, vestir regata clara e meio transparente por baixo do casaco, com jeans escuro bem moderno. Depende do seu estilo. Se a mulher pode e deve repetir roupa, o homem então pode repetir quantas vezes for preciso. Então, basta escolher uma camisa com listras finas e a gravata pode ser em qualquer tonalidade, ou lisa. Prestar atenção ao colarinho: camisa sem botão no colarinho é sempre formal. Não precisa de lenço no bolso. Isso tudo vale também para smoking, com observação que smoking se usa com gravata borboleta preta. É cafona, brega, usar gravata borboleta colorida em smoking - aliás, quem veste isso deve ter consciência de que nem é mais smoking. E gravata não pode ser de laço pronto, tem de ser tradicional, com laço dado manualmente. Não custa nada aprender. Nenhum homem deve combinar cor de gravata com a cor da roupa da mulher; eu já vi muito isso em casamento e não é bonito, não deve existir 'par' quando o assunto é roupa para casal, não é quadrilha, ciranda-cirandá. Pare com isso, minha gente! Também não precisa de relógio no pulso quando tiver de vestir terno ou smoking... Não importa se é Rolex ou outra grande marca tão ostentada nessa nova onda dos novos-ricos; seja qual for a grife do relógio, o que interessa é mostrar as horas e não é bom estar num compromisso olhando para a hora. Em climas quentes, como no Nordeste, é absolutamente confortável que a loja ofereça peças sem o forro interno e em tecidos como gabardine ou algodão, ideais para temperatura mais quente. Acho terrível e uma grande desinformação as lojas que vendem exclusivamente ternos forrados e que não tem vendedores bem treinados sobre tecidos, comprimentos e tudo mais que é tão importante para o efeito visual e o conforto. E isso é uma crítica muito positiva! Também não é proibido usar terno com forro, ou em qualquer tecido; depende da pessoa... Eu, por exemplo, sou muito friorento e uso casacos forrados, mesmo no verão... Conhecendo o básico que deve ser a roupa masculina em qualquer parte do mundo, você pode construir seu próprio estilo juntando elementos que você gosta, dependendo do seu humor, do seu gosto, enfim... Vou tão além que se me der na telha ponho veludo preto ou verde-musgo com gola acetinada em pleno janeiro – mesmo porque, hoje em dia, nenhuma grande festa deixa de ter um potente sistema de ar refrigerado. O conforto pessoal é decisivo.
.

Fotografia: Arquivo Pessoal - Givenchy.

terça-feira, 3 de março de 2009

Alta Costura - Um Vestidão Dior e Uma Análise de Estilo

video

Não é sempre que um vestido com tamanho gigante vai me chamar atenção... Esse modelo da alta costura Dior não tem tanto tamanho nem tantos detalhes; mas, isso não diminui sua perfeita expressão artística - que é o que realmente me atrai na moda - e, por isso, merece que eu o chame de vestidão. Não precisa nem de jóia. É uma produção especial, arte, apesar de quase sufocar o corpo, como um grito de que nem tudo é fácil, mas pode ser lindo. Um detalhe de produção que é muito feminino está na bolsa e na posição das mãos; também das altas sandálias sustentadas por tornozeleiras metálicas que permitem aumentar 20 centímetros na estatura da mulher. Isso tem uma mensagem muito importante para quem tem de utilizar recursos ortopédicos para caminhar ou manter algum equilíbrio físico das mãos, pernas, enfim... A mensagem está diretamente ligada à importância comportamental, ao gestual. Logo, facilita a vida dos que precisam de recursos ortopédicos para qualquer finalidade... Uma mulher com algum tipo de deficiência pode ser mais elegante do que uma que não tem deficiência física nenhuma. Tudo depende de como ela age e se veste, dentro de suas limitações. Assim como a modelo usa presilhas de metal nos tornozelos para não perder o equilíbrio, uma mulher que usa qualquer acessório para facilitar a vida pode também ser tão chique. Não há perfeição que englobe tudo no mundo ao pé da letra; depende de cada pessoa, de como você percebe as coisas. O que há é beleza dentro do que pode ser feito e daí a coisa fica perfeita se você gosta, se fica bem. Falando em deficiência física, não posso deixar de dar uma dica... Uma coisa que acho importante: fazer sempre com que o acessório ortopédico visível entre no seu estilo, escolhendo calças-cargo para o filho que tem de usar bota ortopédica, ou, noutra situação, combinando a cor da bengala com a cor dos sapatos, por exemplo. É importante a maneira como encaramos tudo que diz respeito a nós mesmos, é aquele dizer de fazer limonada com os limões que aparecem. Complicar ou descomplicar a vida é uma decisão de cada pessoa, independente de limitações... Nada é impossível de melhorar. Voltando ao vestido: O cabelo, bem futurista, não poderia ser melhor para apresentação do look... A maquiagem é muito pesada, mas eu não mudaria. O jogo das pernas caminhando cria a sensualidade quase engolida pela intenção pudica do vestido, que é muito chique.