domingo, 5 de abril de 2009

Moda e Comportamento - Beleza, Sofisticação, Frescuras e 'Dandyismo'

Eu estava pensando sobre o Di Cavalcanti ter sido apaixonado pelas mulatas e ter casado justo com uma ruiva de olhos claros. Como a vida nos prega peças. Na moda isso também acontece, literalmente... Amando o dandyismo, acabo por me render ao clássico contemporâneo, quando poderia adotar o estilo predileto com babados e tudo mais. Até uso alguma coisa, mas tenho limites estabelecidos. Sempre gostei muito de tecidos, tanto para homem quanto para mulher... Sempre considerei o corpo vestido mais sexy do que descoberto. Estou falando em sensualidade e não em sexualidade. Gente fina não liga para sexo, porque sexo é intimidade, não é para expor nada. Ainda bem que não sou fashionista, porque eu acho nota 10 o estilo da versão moderna do Willy Wonka do filme e acho nota 20 o jeito "maluco-chique" dele. Eu ainda não tenho filhos, mas quando tiver filha, tenha o temperamento que tiver, ela vai ter de se entender muito bem com muitos tecidos desde criança: vestidos rodados com saiotes na armação, meias, sapatos com fivelas ou laçarotes, fitas no cabelo, extremamente formal, artificialmente formal... Acho o máximo uma criança 'ultracivilizada' que não corre para atender telefone e nem atrapalha os pais quando estão com visitas. Mas, que aparecem muito corretas em moda, em comportamento. Os meninos muito corretos de camiseta pólo, calça e mocassim para o básico. Eu, quando garoto, era obrigado usar várias camisas sobrepostas, porque sempre fui extremamente alérgico e me resfriava fácil com tantos problemas na respiração; fiz daquilo uma das minhas opções de estilo, porque até hoje, faça calor que fizer, eu uso quase sempre duas camisetas. A construção do que é estilo, moda, do bom gosto vem a partir da influencia dos pais e da imposição de determinado comportamento no vestir e no comportamento. Os pais podem não mudar o temperamento de um filho, ou filha, mas, são eles os responsáveis pela construção da personalidade de cada filho. Num mundo de poucos diferenciais humanos, esse incentivo ao estilo próprio pela valorização do que é virtuoso no ambiente familiar contribui para enriquecer a quantidade e qualidade das ofertas de moda para os filhos e identificação com grupos. Óbvio que quando os filhos vão crescendo e querendo usar o que a turma estiver usando: as roupas da moda, enfim... Eles farão isso sim, mas já terão em mente uma idéia bem firme da importância disso tudo. É preciso ensinar o que é bonito e correto na moda... Quando uma criança cresce escutando a mãe reclamar do cheiro da fralda suja, quando adulta não suportará qualquer cheiro 'esquisito'. Isso é uma coisa que fica gravada na cabeça, é comprovado cientificamente e, mesmo não sendo psiquiatra, já li muito sobre isso em livros de psiquiatria e também já ouvi muito em palestras. Sou muito bem informado e você não faz idéia. Por isso, algumas pessoas aceitam melhor certos cheiros que são "insuportáveis" por outras. É tudo uma questão de ensinamento, nos mínimos detalhes... É preciso ter um referencial de moda desde cedo. Hoje eu posso sair à noite de veludo com cetim e musselina por baixo, tudo de cor única... Geralmente uma cor escura, para realçar minha brancura. E, sendo extremamente branco, ainda me permito à frescura de esquentar xícara de porcelana e passar nas maçãs do rosto para ficar com certo ar rosado. Acho isso muito divertido. Depois, saio e janto com quem quer que seja e volto pra casa... Para embalar tanta sofisticação, só mesmo uma ópera de abafar! A moda é mesmo uma coisa linda. Porém, quem tem uma mentalidade de mundo e me conhece bem, percebe que além dos recursos da moda, em mim há sempre uma expressão de arte. O dandyismo deveria ser mais adotado, vejo pouca gente dentro dessa moda tão bonita... Sinal de que para as pessoas de minha geração houve pouca preparação para a beleza.
.
Fotografia: 'Dandyismo' feminino por Jean-Louis Scherrer - Arquivo Pessoal.

Um comentário:

sunshine disse...

Querido Jamill.
Finalmente tomei vergonha na cara (rs) e atualizei-me!!! Estou em dia no seu Blog!!! Adorei este texto... Queria que você tivesse grifado algumas frases.
Mas quero deixar o meu protesto em relação ao primeiro texto: não uso cabelo curto por ser preguiçosa, au contraire, as mulheres mais sofisticadas possuem cabelo curto. Ex: Linda Evangelista.
Sua eterna amiga: Elaine P.