sexta-feira, 26 de junho de 2009

Opinião - A Intempestiva Despedida de MICHAEL JACKSON

As notícias sobre Michael Jackson sempre foram conturbadas e ontem não foi diferente. Eu gosto dos vídeos dele dançando, de algumas músicas; lembro de quando eu era garoto e ele fez um videoclip com a Naomi Campbell e as pessoas diziam que tinha mudado a cor da pele. Era um espanto! Sobre a moda, eu acho que ele combinava com o estilo criativo de Karl Lagerfeld. Mas, isso não passa de fantasia. Sua infância, pelo que li, foi complicada e um detalhe, que o pai o chamava de feio, me lembra outro nome da moda, Diana Vreeland. Depois, o resultado disso que foi toda a insatisfação com a própria aparência e as tantas plásticas e tratamentos estéticos que renderam muitas outras conturbadas notícias mundiais que passavam do drama ao humor em segundos nessa velocidade que move a imprensa, as fofocas e a fama. Seja como for, Michael Jackson entrou numa corda-bamba de escândalos judiciais, financeiros, psicológicos! Sucesso com altos e baixos, mantendo-o nessa ultramoderna base essencial para a fama que apresenta novidades como Amy Winnehouse, por exemplo. Então, a imprensa filma e fotografa Michael com um dos filhos, provocando pânico quando pareceu imprudente na varanda de um hotel! Quantas vezes a imprensa persegue essas ondas de insensatez de artistas? Os limites, as regras, a alienação! Lembro que quando ele esteve no Brasil, eu era pequeno, assistia Xuxa e o jornal mostrou que eles dois se conheceram, depois teve um atropelamento na saída de uma fábrica de brinquedos e Michael foi até o hospital visitar o rapaz atropelado. Recentemente li que a Britney Spears também atropelou um fotógrafo. Michael Jackson sempre esteve atual, mesmo sem a música. Não que ele precisasse de uma nova entrada em cada tendência exigida pelos outdoors, porque não há nada igual a ele, que cresceu dentro de uma notoriedade inimaginável a partir de seu talento. Não havia como Michael passar anônimo em meio a uma multidão em qualquer parte do mundo, sua aparência, um dos rostos humanos mais excêntricos e pós-modernos, o denunciaria, e as pessoas avisariam: "É o rei do pop!!!" O dinheiro não é tudo, a maior herança de Michael Jackson é a história, a extravagância, a força de sua fama em todo o mundo, os incontáveis fãs, a riqueza musical, o estilo único de vestir-se, cantar, dançar e as campanhas de caridade que ele fez pelos pobres e pela natureza. Nada acaba!

sábado, 20 de junho de 2009

Moda – Ser Dondoca? Acho o Máximo!

video

Eu fiquei encantado com a apresentação da modelo Debbie Dietering nesse desfile Dior. Antes de comentar, quero dizer que acho uma grande vantagem para a mulher ser dondoca quando é inteligente. É coisa de berço. Até por que uma mulher muito rica não precisa trabalhar e vai mesmo casar com um homem tão rico quanto ela; então, falando no grupo que consome alta moda francesa, ele não vai reclamar se ela vai de avião particular para Paris e compra um vestido de 1 milhão de dólares. Porque, esse grupo não faz nada para ostentar, é só uma questão de way of life... Uma mulher assim pode usar crochê feito em Fortaleza com a mesma classe, o mesmo ritmo. No mais, o amor tem dessas coisas e quando uma pessoa resolve casar, dentre outros motivos, ela e a família aceitam quando é para manter o padrão. De todo modo, são tão viajadas e cultas, cosmopolitas, que se adaptam a tudo com a maior naturalidade. Os filhos e filhas serão no mesmo ritmo... Em geral, são pessoas muito bonitas! Com todos os gestos de uma garota muito doidivanas, rica e muito ociosa a bonita desenvoltura da Debbie na passarela me deixou bem fascinado... Pálida como manda o chique, cabelo numa re-estilização do penteado da Suzy Menkes e um andar muito divertido e atraente. Quase um felino! A cena do desfile me lembra, de certo modo, o frisson causado em Cannes quando a chiquerésima adolescente Carmen Mayrink Veiga, considerada umas das garotas mais bonitas do mundo, chegou ao Festival fazendo charme na companhia de seus amigos, artistas de Hollywood. Depois, com peruca curta, batendo papo com a Sofia Loren e ambas com vestidões de abafar! Deslumbrante! Quanta beleza! Recentemente a Betty Catroux também fez muito charme numa onda de atrevimento fashion quando compareceu de jeans num grande jantar oferecido por Lily Marinho, enquanto Carmen de alta costura e a Cristiane Torloni de Carlos Tufvesson. Quanto atrevimento Betty! Mas, a atitude dela deixou aparente a tentativa pelo divertido. Com a desenvoltura da Debbie na passarela, mesmo enrolada num lençol sem nenhuma intenção fashion, seria bem scolchique! Mesmo hoje, quase 10 anos depois, não mudou minha atração pela cena.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Moda – Virilidade na Moda: Bigode e Depilação | Estilo do Homem Moderno

Agora não quero falar do homem de passarela, que tem de ser muito magro, pálido e alto para ser top e bem chique. Vou falar do comum. O homem clássico, mesmo o homem moderno, consumidor dessa moda que, na maioria, se baseia em idéia andrógina, ele quer manter tudo que expresse sua masculinidade, valorização à virilidade. Atualmente a expressão física da virilidade na moda vem, inicialmente, a partir de elementos naturais: altura, rosto e nariz longos. Então, depois vem do corte de cabelo uniformemente muito curto, corpo com definição muscular – peito depilado. Para quem tem pêlos nos braços e pernas, que eu chamo de ‘pêlos sociais’, eles são mantidos em tamanho mínimo ou inexistente e essa manutenção é feita de forma muito discreta. Há também a área íntima, que também deve seguir uma manutenção pela prática de aparar, porém sem depilar. Pêlos como os da barba e das axilas (que eu considero uma área íntima) são referências de masculinidade, um complemento da imagem física masculina, expressões de virilidade. Nessa idéia, o uso do bigode também vem voltando... Mas, não é todo mundo que fica bem de bigode. O homem moderno que quer fazer uso desse recurso natural para enaltecer sua virilidade, vai bronzear o corpo, usar bigode mínimo, pouco denso, ralo. Além de ser uma característica de estilo, o bigode usado por homem jovem também ganha uma interpretação fetichista e tanto o estilo quanto o fetiche preenchem essa necessidade atual da identidade em matéria de estilo e da valorização da virilidade, sempre um ideal de imagem do homem. Tudo isso pode ser enriquecido ainda mais através das ofertas de moda, como o uso de óculos escuros no modelo Ray-Ban ou "máscara", camiseta regata, tatuagem, por exemplo. Acessórios que valorizam a imagem do homem são essenciais; e toda grife que investe nisso, sob uma base de qualidade, avança.
Leia mais sobre depilação masculina clicando AQUI.

Fotografias: Modelos na passarela Dirk Bikkembergs.