segunda-feira, 27 de junho de 2011

Moda Masculina – A Hermès de Paris e o Homem Casual Para o Verão 2011/2012

Vestuário masculino para o dia-a-dia dos homens chiques e ricos.

Com modelagem clássica e de cores comuns, sem extravagâncias, a Hermès de Paris, que tem a linha de acessórios mais chiques para o homem, mostra que os desfiles masculinos de roupas servem como oferta de manutenção de peças do armário. É tudo muito parecido com coleções anteriores. O estilo dos modelos também mostra que a barba por fazer e o cabelo volumoso e bem cuidado são exemplos do homem (pós-)moderno. Sem androginia, quem opta pelas peças de roupa e acessórios da marca, acerta na escolha: nada justo, qualidade, bom caimento e sobriedade. As sandálias podem ser trocadas por mocassins e apesar da maioria não poder comprar legítimas peças Hermès, vale a pena basear-se nos looks para manter-se na moda. Porém, para ser chique mesmo, tem de gastar muito.

domingo, 26 de junho de 2011

Moda Masculina – Dior Para Homens e Detalhes que dão um Toque a Mais Para o Verão 2011/2012

Detalhes Dior.

Bom dia, minhas paixões. Hoje é domingo, um dia que gosto e apesar da moda em Paris estar feia, estou de bom humor. Portanto, tenho tido paciência para, em meio ao lixo, escolher o luxo. Certos detalhes como sapatos de bico fino na passarela John Galliano me deixam atento aos mocassins de bico, que são perfeitos para o verão, então compre logo o seu. Lembro que mocassim não se usa com meias, portanto, é esporte. Agora, mocassim aveludado só fica bem no frio. As calças skinny não me agradam muito, parece não ser novidade e todos meus amigos têm pelo menos 20 dessas nos armários – uma pessoa simplesinha tem no mínimo 50 calças no armário, mesmo que seja de marca do povo como C&A ou Riachuelo, por exemplo –, estou interessado nos tecidos ou algum e outro efeito como o bico dos sapatos, que antigamente demonstravam a importância do homem: quanto maior o bico, mais importante. Quem quiser investir em looks clássicos com tecnologia, o melhor mesmo é preferir Yves Saint Laurent, que apesar da oferta parecer sem graça, é uma moda séria que pode ser somada ao seu estilo. Apesar de moda masculina francesa ser uma moda cara, certas marcas masculinas são um investimento que vale a pena, sobretudo quando a compra é feita de uma peça clássica, que deve ser substituída quando necessário. A marca Givenchy, que é uma das minhas preferidas, continua desfilando e oferecendo uma moda feia, não sei o que acontece com os estilistas da Givenchy, acho que todos estão loucos. Kenzo também mostrou uma moda muito colorida, feiosa, eu não aguento isso para homem. Até agora o melhor mesmo é da passarela Dior, com modelagem dinâmica, clássica, com toque de contemporaneidade clean. Parece chato? É um pouco chato, mas as proporções, o caimento, me agradam e combinam com cidades como Nova York e Tókyo, por exemplo. Eu gosto disso. Esqueça os chapéus e as faixas, cintos ou qualquer barra de calça colorida que não combina com a cor dos sapatos. Homem tem de combinar sapatos com cinto e as meias com a cor da calça. Gostei das munhequeiras, que podem ser braceletes, são másculas e dão largura aos punhos. Mangas curtas são cafonas, mas ficaram bem na proposta da Dior, pelo menos das camisas fechadas, com golas esportivas redondas, evite que são abertas e que têm colarinhos, mesmo gola padre, que é esporte. Continuo indicando as calças de cano reto com bolsos tipo faca que, dependendo do tecido, podem ser usadas no verão e no inverno, com sapatos e sandálias de tiras largas para o verão e mocassins aveludados para o inverno. Minhas dicas são valiosas e fazem muita gente economizar. Olha que bacana, eu sou útil em meio ao fútil [risos].

sábado, 25 de junho de 2011

Moda Masculina – Modelagem Clássica com Tecidos Tecnológicos Para o Verão 2011/2012

Da esq. para direita: Dois looks Jean Paul Gaultier e Mugler que eu gostei.
Bom dia. Em meio às festas juninas brasileiras, Paris desfila a moda masculina para homens como eu e você, que sabem como investir bem em matéria de roupa e, por isso, temos cada vez mais trabalho na escolha. Detesto escrever sobre uma temporada diferente da nossa estação climática, mas eu faço... Escreverei mais sobre outras peças e looks da semana de moda francesa, mas não está fácil escolher, pois há muita coisa feia. Porém, se os desfiles não devem ser levados a sério, peças específicas servem para manter seu armário com estilo clássico, que é tão indispensável para o homem chique. Por mais que a androginia seja ofertada, a escolha, felizmente, é pelo clássico, que pode ser tecnológico. Um terno, por exemplo, por mais banal que aparentemente seja, pode ser feito em tecido tecnológico que se ajusta ao físico, dando caimento nota 10. Se as mulheres podem recorrer ao luxo dos acessórios e modelagens mais artísticas, os homens adotam peças de cores menos sóbrias, em alfaiatarias tecnicamente aprumadas nos tecidos mais possível e tecnologicamente maleáveis e confortáveis. Ser chique custa muito dinheiro, isso mantém nomes específicos nas listas dos mais bem-vestidos, mas, além de render o reconhecimento pela imprensa especializada, a moda de qualidade representa um investimento de bom gosto, classe e beleza, principalmente se o homem tem a estatura da moda, pra mais de 1,80m.

sábado, 18 de junho de 2011

Moda – ADRIANA DEGREAS Inspira-se na Mulher-Luxo CARMEN MAYRINK VEIGA, com ANTONIA FRERING e SONIA BRAGA – SPFW

ESTILO CARMEN: Adriana Degreas entre Antonia Mayrink Veiga Frering e Sonia Braga.
SÃO PAULO – Como falar de moda e luxo na São Paulo Fashion Week e não citar a mais importante e imponente mulher brasileira entre as 10 mais elegantes do mundo, que inspira fashion designers e atrai tanto a imprensa quanto compradores desse restrito mercado de alta qualidade, tecnologia e preços? Ontem, dia 17, na SPFW, o luxo de Adriana Degreas, inspirando-se na deslumbrante Carmen Mayrink Veiga, mostrou ao Brasil como as pessoas mais ricas e elegantes vão se vestir para o verão na piscina, no barco. Quem da alta sociedade ou mesmo do povão, que é bem informado, não sabe que as costelas de adão são das folhagens mais decorativas da mansão que os Mayrink Veiga marcaram em Angra dos Reis? Pois bem, certa vez a chiquerésima Carmen usou folhas de costela de adão como base para os pratos de um almoço de verão bem chique e, inspirada no estilo da jet-setter, Adriana desfilou sua coleção na com todo glamour que somente as ricaças bem nascidas e bem criadas podem ter acesso. As modelos usaram estampas de costelas de adão, biquínis de cintura alta, com outras estampas douradas e de leopardo, aliadas aos esvoaçantes e tecnológicos tecidos que estarão presentes nos iates e piscinas particulares mais bonitos e chiques do país. No desfile, a filha de Carmen, Antonia Mayrink Veiga Frering, e a atriz Sonia Braga deram um toque de sofisticação e beleza, no ‘Estilo Carmen’, à inspiração de Adriana. Um luxo, obviamente. 

sábado, 4 de junho de 2011

Alta Costura – Quando o Luxo é “Pop”

video
Enquanto os bem-acomodados na primeira fila quase precisam proteger os ouvidos dos rasgos da guitarra, o luxo da alta costura em seus materiais mais nobres e caros, retratando uma temática artística, faz valer a pena a lição de que juntar o luxo e o popular é possível, desde que não se misturem. Quem não viu o encontro da rainha Elizabeth II com a Lady Gaga, ou quando alguns emergentes estiveram presentes no lançamento do Vogue inteiro sobre Carmen Mayrink Veiga no Copacabana Palace, com direito a fila indiana para cumprimentarem a chique Carmen? É, gente, isso é divertido. Eu sei que é cafona fazer compras em shopping centers, que bacana mesmo é receber em casa uma mala da Daslu e escolher tudo, pagar por transferência bancária e, num “ops”, deixar escorregar um anel Cartier no ralo da pia. Gente, nada disso importa. Pessoas bonitas, da moda, na moda, com seus carrões e gigantescos apartamentos e mansões, não perdem tempo chamando alguém pra pegar o que caiu no ralo, porque basta abrir a caixinha e pegar outro. Leite derramado é bom, porque evita engordar; daí você toma uma água com gás e fica tudo bem. Então, mesmo assim, você vai ao shopping center, pois, tem consciência de que é um negócio lucrativo, que emprega muita gente, mas, que não serve pra nada. Porém, é melhor ser fútil e útil, do que fútil inútil. Enquanto você banca o apoio ao emprego alheio, a maioria vai é para a praça de alimentação ostentar um sanduíche, uma roupa ralé. Mas, a gente continua na atividade. Será mesmo que precisamos de uma camisa nova, uma bolsa? Provavelmente não. Mas, é a moda popular; e isso nos torna belos e atraentes para o povão. No mais, quem perguntar o que você foi fazer numa loja de shopping center, responde que esqueceu, mas que a culpa é do rock. Afinal, se o rock já invadiu o espaço do luxo, por que o luxo não pode ajudar o que é popular? Então, compre alguma coisa, ajude os que dependem do popular, mas, por favor, não entre no sistema, porque, é muito jeca.