sábado, 26 de novembro de 2011

Comportamento – Filho de Peixe, Peixinho é |BRAD e HUDSON KROENIG

BRAD KROENIG e seu filho HUDSON
Bom dia. Quando você veste roupas absolutamente inconfortáveis pela moda, desembolsa uma grana para atingir o coruto do luxo para assistir um desfile de moda em Paris, talvez espere que o rigor das roupas mostradas, assim como o rigor do fashion-designer, lustre seu ego em seu físico bem cuidado, perfumado, emoldurado pelas grifes mais badaladas do mundo. Como você custa caro, darling! Porém, é aí que a surpresa acontece. Ao som da orquestra, enquanto a fonte, no centro da passarela, lança jatos d’agua, como num jardim de um palácio, as pessoas mais importantes da moda assistem, escutam e observam atentas à nova coleção verão 2011 da Chanel. Então, pai e filho entram na passarela; nada menos que Brad Kroenig, um dos mais importantes, simetricamente bonitos e caros modelos do mundo, e seu filho, Hudson Kroenig, usando roupas iguais, desfilam atraindo olhares e acenos da platéia. Como a gente pode ser natural quando se é chique, elegante, educado. Tenho pais absolutamente exigentes com relação à aparência, portanto, é comum quando estou acima do peso escutar: “A altura está certa, mas o peso está ficando errado.” Eu sei que nem sempre os pais são bons exemplos, pois, exageram em coisas inacreditáveis e conseguem irritar esposa e filhos; mas, nunca se descuidam com aparência. É inacreditável, inaceitável, que uma pessoa que percebe quando uma casa precisa de reforma, por exemplo, não nota que deve ter a prática de ir ao dermatologista, ortopedista e endocrinologista a partir dos 10 anos de idade, inclusive incentivar os filhos, sem falar em ter massagista fixo e uma dieta de proteínas marinhas, naturais, de sangue frio e carboidratos cuidadosamente preparados – mesmo que, às vezes, extrapole no popular pão com maionese, ou um pastel de feira, por exemplo. Nunca um pastel de feira vai diminuir a condição econômica de uma pessoa; portanto, é inadmissível, outra vez, que qualquer pessoa no mundo deixe sua autenticidade em nome de uma falsa idéia de “status” que nada tem a ver com a verdadeira alta sociedade. Mas, é essencial que tenha em mente a responsabilidade de manter sua beleza e seu estilo; seja com um pastel popular ou o mais refinado doce, não custa comer apenas a metade. Dar o bom exemplo é importante, identificar a quem devemos fidelidade, lealdade, e quem mais nos ensina sobre tudo, é uma das jóias do livre arbítrio. Temos chance de encontrar pessoas indiscutivelmente especiais, mas, só é possível mantê-las com boa base familiar e segurança; do contrário, é a lama ao seu redor que tenta pegá-la, sim, pois cada pessoa é o que merece; mas, felizmente, como sempre acontece em níveis sociais mais elevados, a pessoa especial consegue soltar-se e voltar à sua realidade, onde trocará seus sapatos, interesses, e outra pessoa terá a chance de tê-la por perto. Como é bom ser incompreendido pelo povão, como é bom ser compreendido pelos humanos mais civilizados e finos. Mesmo que nossos pais sejam bem danados, eles são bonitos, vaidosos, nos dão orgulho e também, assim como nos dão bons exemplos, facilmente liberam, sem reclamar, muita grana para nossos caprichos. Está vendo como é fácil trocar os sapatos e voltar à sua realidade? Então, veja que bonito o pequeno Hudson – que já tem um closet cheio de peças das mais chiques grifes – com o pai, Brad, amigos de Karl Lagerfeld, desfilando, atraindo atenções e, principalmente, mesmo de jeans, bonitos, chiques e aplaudidos. Quem também desfilou foi Inès de La Fressange, manequim contratada pela Chanel nos anos 80, que fez as pazes com Karl Lagerfeld, pois, por causa de uma discussão entre os dois, seu contrato com a Chanel foi cancelado. No geral, o que vale mesmo é que os iguais se conhecem, reconhecem, aceitam. O que conta é sua realidade, o que você é em família.

sábado, 19 de novembro de 2011

Click – HILDEGARD ANGEL Vestida de Noiva pela Casa Collette

O Click de hoje é da jornalista Hildegard Angel vestida de noiva em 1988. O vestido da jornalista foi publicado por ela para falar do lançamento do livro sobre a marca que assina seu vestido, que tem bordado de François Lesage, um dos poucos mais importantes ateliês de bordados da alta costura de Paris. O livro “Lila”, publicado pela Editora Tix, chega às livrarias contando a história da famosa Maison Liliana, ou Casa Collette, o ateliê de alta moda de Liliana Syrkis, no Rio de Janeiro. Roupas com visual e qualidade técnica, e material, de excelente qualidade, tudo trazido de Paris, ou, como no caso do vestido de noiva da Hildegard, mandado para ser bordado lá, estão nos armários de mulheres muito elegantes como a brasileira mais conhecida na moda internacional, Carmen Mayrink Veiga, e a também brasileira, que deu origem à expressão “patricinha”, mãe de dois netos da Carmen, Patricia Ferreira Leal.

domingo, 6 de novembro de 2011

Moda – O Adeus a LOULOU DE LA FALAISE Que Refletiu e Inspirou o Luxo Em Acessórios

LOULOU veste YSL e colar de sua grife.
Jóias assinadas por Loulou para
a alta costura YSL.

Ontem a moda perdeu Loulou de La Falaise, uma mulher elegante, chique, simples em seu estilo mimado e educado, típico das grandes personalidades do topo da pirâmide social. Amiga e colega de trabalho de Yves Saint Laurent, Loulou teve uma história de amor com o costureiro – não no sentido de relacionamento amoroso, eu estou falando em linguagem culminantemente chique, tenham atenção, por favor. Loulou fez acessórios muito luxuosos para as coleções de alta costura, algumas peças violentamente caras, exageradas e chiques, outras barrocas, tudo elegante, macio, moderno. Para a clientela de alta costura, assim como para Saint Laurent, o estilo criativo de Loulou, com sua imaginação desgovernadamente louca e cara – mesmo para ela, que dizia que não sabia desenhar –, apesar de fazer jóias que foram remodeladas em materiais populares pelo mundo e adaptadas ao povão, como as franjas de ouro, refletiu o luxo de uma maison de alta costura em acessórios que vestiram as mulheres mais importantes do mundo. Na alta sociedade, as pessoas são naturalmente cultas, possuem uma carga de experiências fantásticas, porém, nada nelas é propositadamente intelectualizado, até por que seria cafona, portanto, esse rígido toque de intelectualização adquirida limita-se aos acessórios.
Brincos de ouro e porcelana assinados por Loulou.
É um reflexo, a cada visual histórico da alta moda, de algo que realmente acontece na história cultural humana. Portanto, um bracelete inspirado em escravos e bárbaros, de ouro maciço e diamantes, pode facilmente custar um castelo, e é refletido enquanto as bandas da moda embalam os bailes mais deslumbrantes dos ricaços que chegam a bordo de Rolls Royces e envergam o máximo do luxo tecnológico em tecidos e técnicas de alta costura capazes de atrair olhares curiosos até mesmo de extraterrestres de mundos distantes.