quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Animais - O Adeus a Pequena Rokita | Ajudem os Animais de Rua

All Dogs Go To Heaven, de Shanti Marie. 

O primeiro texto do ano é sobre uma cadelinha vira-lata cor de doce de leite que resgatei da feira ainda filhote, a Rokita. Quando a encontrei, ela estava correndo entre os carros, quase sendo atropelada e sendo maltratada por feirantes. Junto a ela, a Sarita, irmã, de cor preta. Fiquei sabendo que elas haviam sido jogadas na feira por alguém. A Rokita tinha muitos carrapatos grandes, um tipo que dá em bodes. Ambas foram adotadas por mim. Há alguns meses no jardim, elas já ganharam peso e ficaram mais espertas. Mas, ambas começaram a ter sintomas de envenenamento e a Rokita não resistiu. Eu fico indignado com isso. Não entendo como a maldade e as pessoas más têm tanto espaço no mundo, me pergunto onde está o bem e o que nós, os poucos que gostam dos seres vivos num todo, devemos fazer para que o bem prevaleça no mundo (?). É uma dúvida cruel. Eu tenho consciência de que os animais são sagrados e, portanto, todos os animais considerados “irracionais”, têm a Proteção de Deus quando passam pelo que a Rokita passou e são Salvos, pois, são puros como crianças. A humanidade precisa estar cada vez mais consciente de que por mais alta e segura que seja a torre erguida por um homem, se ele submeteu animais ao sofrimento, ela desmorona de forma violenta e inesperada quando ele mais precisar de segurança. Isso é sério e pode ser evitado, isso é sério e deve ser evitado. Mesmo que uma pessoa seja ruim, mesmo que ela não acredite em Deus ou na igualdade dos seres no merecimento de estarmos aqui, essa pessoa pode e deve ter a atitude de controlar sua maldade e, se não ajudar, nunca interferir no destino natural dos outros seres. O que fazemos aos outros é cobrado e cada um deve ter consciência do peso de sua própria dívida. Que cada um de nós pague na mesma moeda o que fazemos aos animais. Há muita ilusão e hipocrisia. Gente que solta fogos de artifício em festa de réveillon, mas, que assassina à facada o cachorro que, assustado, busca abrigo numa casa. Gente que agride animais e filma para colocar o vídeo na internet. Gente que passa o dia fazendo comidas elaboradas para puxar saco de políticos e pessoas das igrejas em reuniões, enquanto tantos animais passam fome nas ruas. Eu realmente entendo cada vez mais meu interesse que haja seres em outros mundos físicos, extraterrestres, criaturas de raças diferentes, mesmo que não sejam pacíficos, pois, o ser humano só consegue pensar, mesmo efemeramente, no próximo e nas outras espécies, quando está em apuros. Eu não espero nada de ninguém, mas, eu faço o que acho certo pelos animais e tenho a obrigação de pedir que vocês façam o mesmo: ajudem os animais de rua. Como eu disse, não posso esperar de vocês que os animais sejam ajudados, mas a minha parte está feita. Estou triste pela Rokita e estou triste pela humanidade que está cada dia mais egoísta e com a alma menor.

Nenhum comentário: