domingo, 3 de agosto de 2014

Moda - Os “Dener” de José Gayegos


Jamill Barbosa Ferreira - @JAMILLISSIMO - A gigante Avon realizou o 19º Prêmio Avon de Maquiagem recheado de qualidade em moda. Foram confeccionados e desfilados 10 vestidos que saíram dos croquis do homenageado Dener Pamplona de Abreu da melhor maneira, através do talento do chique José Gayegos, que foi amigo de Dener e trabalhou com ele. Exclusivos, os vestidos nos transportam para o nível de sofisticação da alta moda de Paris e, às vezes, referem-se à modernidade chique dos anos 1960 - que permanece atual -, pouco antes da mudança para o futurismo radical na moda de mundo. A coleção poderia ser apresentada na semana de alta costura de Paris, enquanto nomes como Raf Simons, por exemplo, preferem o minimalismo chato do prêt-à-porter novaiorquino para derrubar a Dior. O fato é que todos que gostamos de moda, que somos blogueiros ou grandes jornalistas do tema, clientes ou apenas curiosos, estamos impressionados com a beleza e com a dúvida sobre o que ainda mantém estacionada uma marca como a “Dener”, quando poderia estar sendo produzida e comercializada, mesmo para poucas ricas, sob o controle de Gayegos que, sucesso em sua coluna de moda no site Chic, honra o nome Dener de maneira corretíssima na proteção do trabalho feito pelo costureiro e na essência do que foi feito para o evento. São obras de arte atemporais e aristocráticas, algo raro na moda feita no Brasil, carimbando que o nosso luxo deve ser defendido centímetro por centímetro. Os vestidos foram desfilados por nomes famosos, como Luiza Brunet, que bronzeada, sexy e esvoaçante, rodopiava na passarela com um ar de Diane von Fürstenberg. Um sucesso. Gayegos não apenas deu a beleza da moda ao evento, ele conseguiu atrair atenções e elogios para a Avon, em meio ao turbilhão de campanhas contra o setor de produção de maquiagens da empresa, que usa animais em seus testes terríveis. Eu aplaudo de pé o José Gayegos, sua excelência em moda e os vestidos Dener, que ele tornou reais.